Última hora
This content is not available in your region

ONU pede medidas rápidas contra alterações climáticas

Access to the comments Comentários
De  Euronews com AP
euronews_icons_loading
ONU pede medidas rápidas contra alterações climáticas
Direitos de autor  Michael Sohn/AP
Tamanho do texto Aa Aa

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) voltou a deixar um alerta para as consequências das alterações climáticas. A uma semana da reunião da Assembleia Geral da ONU, António Guterres sublinhou o avanço cada vez mais rápido do fenómeno e disse que as emissões de combustíveis fósseis já recuperaram depois da diminuição por causa da pandemia.

No lançamento de um relatório apoiado pela ONU, Guterres disse que o clima extremo em várias regiões do mundo - do furacão Ida nos Estados Unidos às inundações na Europa Ocidental e à onda mortal de calor no Noroeste do Pacífico - mostra que nenhum país está a salvo.

"Estas mudanças são apenas o início do pior que está para vir", disse Guterres, apelando aos governos para que cumpram os objetivos do acordo climático de Paris de 2015. O diretor-geral da ONU sublinhou ainda que sem uma redução imediata, rápida e em larga escala das emissões de gases com efeito de estufa, não poderemos limitar o aquecimento global a 1,5 graus Celsius, e que "as consequências serão catastróficas".

No relatório “United in Science 21”, seis organismos das Nações Unidas e organizações científicas basearam-se na investigação existente para argumentar que existe uma ligação direta entre as emissões causadas pelo homem, temperaturas elevadas e desastres que têm um impacto nos indivíduos e nas sociedades, incluindo "milhões de horas de trabalho (...) perdidas apenas devido ao calor".

“Sem uma ação ambiciosa para diminuir as emissões de gases com efeito de estufa, o nível do mar

continuará a subir e a ameaçar as ilhas e populações costeiras baixas em todo o mundo", escreveram os autores.