EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Bósnia-Herzegovina: marcha em memória do massacre de Srebrenica junta 6.000 pessoas

Milhares recordam massacre de Srebrenica
Milhares recordam massacre de Srebrenica Direitos de autor EBU
Direitos de autor EBU
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Homens, mulheres e crianças caminharam durante 3 dias para chegar a Potocari. Ao todo seis mil pessoas juntaram-se nesta marcha paciífica em memória do massacre de Srebrenica.

PUBLICIDADE

Após três dias de caminhada, cerca de 6000 pessoas chegaram a Potocari, na Bósnia-Herzegovina, cidade onde se encontra o Memorial de Srebrenica. O mesmo caminho que muitos bósnios fizeram para fugir da guerra, em 1995.

No percurso, em busca da paz, perderam-se muitas vidas. Os sobreviventes fazem questão de, todos os anos, participar nesta iniciativa. Entre eles encontram-se filhos de combatentes e civis de Srebrenica, que entram de braço dado, tal como os seus pais fizeram há 29 anos.

O silêncio, em Potocari, é quebrado apenas pelas lágrimas daqueles que recordam os seus familiares.

"Dedico esta Marcha ao meu irmão que faleceu recentemente. Ele passou por esse caminho, sobreviveu e chegou à liberdade", afirmou uma das participantes.

A 11 de julho de 1995, o enclave de Srebrenica caiu nas mãos das forças sérvias da Bósnia lideradas pelo general Ratko Mladić.

Foi o início do maior massacre de civis desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Mas de 8 mil homens e adolescentes muçulmanos bósnios foram presos e executados antes de serem enterrados em valas comuns.

Os participantes seguravam faixas onde se lia "Solidariedade - Nunca esqueceremos o genocídio de Srebrenica" e também "Declare! Declare! Declare! Declare! Esta mensagem dirigia-se às autoridades sérvias, que se recusam a falar de "genocídio", alegando que este termo estigmatiza o povo sérvio no seu conjunto.

Homenagem em Belgrado

Ao mesmo tempo, na capital sérvia, dezenas de ativistas dos direitos humanos comemoravam o aniversário do massacre.

Belgrado também se recusa a instituir um dia internacional para lembrar as vítimas do genocídio.

Em maio, a Alemanha e o Ruanda apresentaram na ONU uma proposta para estabelecimento de um dia anual para assinalar o genocídio de 1995.

Os sobreviventes e os familiares das vítimas congratularam-se com a decisão da ONU de tornar o dia 11 de julho um dia de comemoração. Os sérvios consideraram que esta escolha iria complicar ainda mais as tentativas de reconciliação entre as várias minorias que constituem a Bósnia-Herzegovina.

Este ano, a marcha foi particularmente exigente devido ao calor intenso e ao terreno acidentado. De acordo com a organização, das cerca de 6.000 pessoas , 250 eram crianças. Infelizmente, um participante faleceu.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Genocídio de Srebrenica: manifestantes pró-sérvios voltam a protestar contra resolução da ONU

ONU aprova resolução destinada a assinalar genocídio de Srebrenica

Marcha anual da paz recorda massacre de Srebrenica