EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Demissão no governo devido à gestão do resgate de afegãos

Ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos, Sigrid Kaag
Ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos, Sigrid Kaag Direitos de autor AP Photo/Anjum Naveed
Direitos de autor AP Photo/Anjum Naveed
De  Francisco Marques
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Decisões de Sigrid Kaag foram condenadas pelo Parlamento dos Países Baixos e ministra dos Negócios Estrangeiros decidiu bater com a porta

PUBLICIDADE

A ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos pediu a demissão.

Sigrid Kaag resolveu bater com a porta depois do Parlamento ter formalmente condenado a forma como geriu a retirada de cidadãos afegãos do Afeganistão.

"A câmara entendeu que o governo agiu de forma irresponsável. Embora eu mantenha o nosso compromisso, só posso aceitar as consequências deste julgamento como o ministro com a responsabilidade final. De acordo com a minha opinião sobre o que deve ser a democracia e a cultura da nossa administração, um ministro deve sair se a sua política for reprovada", lê-se no comunicado emitido por Sigrid Kaag.

O pedido de demissão das ministra neerlandesa surge um dia depois do afastamento do homólogo Dominic Raab pelo Govermo britânico, alegadamente também devido à forma como geriu a crise no Afeganistão.

Apesar de também censurada pelo Parlamento, a ministra da Defesa dos Países Baixos, Ank Bijleveld, decidiu manter-se em funções.

Kaag vai no entanto manter-se como líder do partido de centro-esquerda D66, que é parte da coligação em negociações com o primeiro-ministro Mark Rutte após a vitória eleitoral de março.

Para Rutte, a saída de Kaag do atual executivo "é uma grande perda".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Milhares protestam contra os preços das casas em Amesterdão

"Estado da União": Afeganistão domina agenda europeia

Rutte vence eleições marcadas por surpresas