Última hora
This content is not available in your region

Venezuela tira zeros ao bolívar para facilitar operações

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Venezuela tira zeros ao bolívar para facilitar operações
Direitos de autor  AP / Ariana Cubillos (Archivo)
Tamanho do texto Aa Aa

O bolívar acordou de cara lavada. Da noite para o dia, a partir desta sexta-feira, a moeda venezuelanacair seis zeros. Isto é, em vez dos 4,18 milhões de bolívares necessários para comprar um dólar, ainda esta quinta-feira, são agora exigidos apenas 4,18 bolívares.

O que mudou realmente? Nada. Mas esta foi a forma encontrada pelo governo de Nicolás Maduro para facilitar as operações, num país assoberbado por uma hiperinflação.

Na rua, as contas já se fazem a dividir os preços por um milhão.

"Acredito que a única coisa que vai melhorar é que não ter de carregar tanto dinheiro. Porque para andar com cinco dólares [em bolívares] no bolso, é preciso uma mala", afirma José Valenzuela, motorista habituado a lidar com o público.

Esta é a terceira vez, desde 2007, que a Venezuela assiste a uma reconversão de moeda, para fazer face à desvalorização.

Para o analista José Manuel Puente, "esta reconversão é muito semelhante às outras duas, mas o contexto macroeconómico é muito pior do que das outras vezes. A Venezuela vem de sete anos de recessão. Provavelmente 2021 será o oitavo ano de contração económica. Oito anos consecutivos, com uma perda de mais de 75% do PIB, primeiro devido a um processo de hiperinflação e agora a uma inflação elevada e persistente, dois tremendos inimigos de uma reconversão monetária".

As novas notas e moedas estão já em circulação, mas para muitos venezuelanos, não há grandes perspetivas de uma vida longa.

Pelas contas do Fundo Monetário Internacional, no final deste ano a taxa de inflação da Venezuela vai rondar os 5.500%.