Governo venezuelano liberta Manuel Rosales e prolonga a vigência das notas de 100 bolivares

Governo venezuelano liberta Manuel Rosales e prolonga a vigência das notas de 100 bolivares
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O governo da Venezuela libertou, este sábado, o antigo candidato presidencial Manuel Rosales e cinco estudantes ativistas.

PUBLICIDADE

O governo da Venezuela libertou, este sábado, o antigo candidato presidencial Manuel Rosales e cinco estudantes ativistas.

Rosales, que se candidatou à presidência em 2006, foi preso em outubro de 2015 sob acusações de enriquecimento ilícito ao regressar à Venezuela após exílio no Peru.

https://t.co/5W7OdMwyRA
Happy New Year Start #Sidney#Australia
#HappyNewYear Paris France https://t.co/ZiZhkKRP6I
https://t.co/ZiZhkKRP6Ipic.twitter.com/eQLu32whY2

— ILYKS (@New_BeeG) December 31, 2016

O ex-governador do estado de Zulia foi libertado juntamente com os ativistas que os grupos de oposição consideram prisioneiros políticos.

Os estudantes tinham sido detidos durante protestos antigovernamentais em 2014. Entretanto, o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, voltou a prolongar o prazo de circulação das notas de 100 bolívares (0,15 euros) até 20 de janeiro de 2017. > Pdte. NicolasMaduro</a> decreta extensión de vigencia del billete de 100 bolívares hasta el 20 de enero <a href="https://t.co/M50CKPN85o">https://t.co/M50CKPN85o</a> <a href="https://t.co/6BRfi8v957">pic.twitter.com/6BRfi8v957</a></p>&mdash; LA CASA, S.A (LaCASA_SA) December 30, 2016

De recordar que a 11 de dezembro de 2016 Maduro ordenou que as notas de cem bolívares fossem retiradas de circulação, em 72 horas, para alegadamente combater máfias internacionais (norte-americanas, colombianas, europeias e asiáticas), que disse estarem a armazená-las para desestabilizar a economia venezuelana.

Seis dias mais tarde, depois de protestos em várias regiões do país, por falta de dinheiro nos bancos para trocar aquelas notas, as de maior circulação, anunciou que continuariam a circular até 02 de janeiro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Venezuela tira zeros ao bolívar para facilitar operações

Europol identificou as 821 redes criminosas mais perigosas da Europa

Hungria recusa prisão domiciliária para ativista antifascista italiana