Última hora
This content is not available in your region

12 milhões de italianos elegem os governos municipais

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
Imagem ilustrativa do Senado italiano, registada em abril deste ano
Imagem ilustrativa do Senado italiano, registada em abril deste ano   -   Direitos de autor  AP Photo/Gregorio Borgia, Pool
Tamanho do texto Aa Aa

Os italianos estão hoje em reflexão para as eleições autárquicas marcadas para decorrer este domingo e segunda-feira, uma semana depois de Portugal ter realizado também um sufrágio municipal.

As eleições locais estavam inicialmente previstas para o final de maio, mas foram adiadas por decisão do Parlamento, e também devido à pandemia vão desenrolar-se durante dois dias com eventuais segundas voltas previstas para 17 e 18 de outubro.

A campanha eleitoral em Itália fechou esta sexta-feira e ficou marcada por uma acesa luta entre os principais partidos, mas também pelos sinais de novas alianças, entre diversos escândalos a manchar alguns dos partidos na corrida.

Depois de ter visto um membro do partido demitir-se devido a um escândalo de drogas, o líder do Liga, Matteo Salvini, fechou a campanha nos arredores de Roma, junto de Giorgia Meloni, homóloga no partido Irmãos de Itália, uma outra força de extrema-direita, atualmente a ganhar terreno em Itália, mas também afetada por uma suspeita de financiamento ilícito.

Salvini parece estar em queda na política italiana, ainda assim fez questão de se mostrar perante as objetivas ao lado de Meloni, expressando a confiança de ambos em Enrico Michetti, a esperança da extrema-direita de uma surpresa em Roma.

A liderança do governo da capital, residência de quase 3 milhões de pessoas, é a mais desejada. Virginia Raggi, do Movimento Cinco Estrelas, é a autarca em funções e recandidata a manter-se à frente de Roma.

Raggi tem no Partido Democrático, no entanto, o principal opositor, como se notou no recente ataque à administração PD da região de Lazio, que engloba as cidades de Roma e Latina, devido à recente invasão de javalis pelas ruas da capital italiana.

A decisão está na mãos dos cerca de 12 milhões de eleitores registados para exercer o voto nas urnas este domingo e segunda-feira.

Outras fontes • Ansa