Última hora
This content is not available in your region

Reviravolta nas eleições checas

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Andrej Babis após votar em Lovosice
Andrej Babis após votar em Lovosice   -   Direitos de autor  Petr David Josek/The Associated Press
Tamanho do texto Aa Aa

Por uns escassos pontos percentuais, os checos viram o resultado das eleições legislativas dar uma volta completa na reta final da contagem.

A coligação de centro-direita Juntos acabou por levar a melhor ao partido no poder, ANO, liderado pelo controverso primeiro-ministro Andrej Babis, que todas as sondagens apontavam como vencedor.

Aliás, após o fecho das urnas, Babis era creditado como vitorioso. Mas os números mudaram rapidamente. Os opositores da Juntos arrecadaram 27,6% dos votos, enquanto a formação do chefe do executivo obteve 27,2%, quando faltava apurar menos de 1% dos boletins.

Petr Fiala será assim o homem da noite eleitoral, uma vez que liderou o braço de ferro contra Babis, dirigindo uma coligação de três partidos. Por outro lado, Ivan Bartos, que encabeçou uma aliança entre o antissistema Partido Pirata e o STAN, um movimento integrado por independentes e presidentes de câmara, ficou no patamar dos 15%.

O escrutínio foi abalado pelas suspeitas em torno de Babis, o segundo homem mais rico do país, cujo nome surgiu no meio dos Pandora Papers. Terá comprado um castelo de 19 milhões de euros no sul de França com dinheiro de uma empresa offshore, depois de ter sido acusado em 2017 de desvio de fundos europeus.

O Partido Comunista, do qual Babis já fez parte, não terá atingido os 4%, o que o exclui do parlamento, cenário inédito desde a Segunda Guerra Mundial.