EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Uma expedição para salvar os oceanos

Veleiro Tara
Veleiro Tara Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  Euronews com AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Veleiro científico Tara faz escala no Rio de Janeiro

PUBLICIDADE

O veleiro francês Tara viaja pelo mundo para defender a importância dos oceanos. Atualmente faz uma expedição ao hemisfério sul e, esta semana, fez uma escala no Rio de Janeiro. O barco concebido pelo explorador francês Jean-Louis Étienne chegou na quinta-feira ao Museu do Amanhã, um centro cultural futurista no centro da cidade com vista para a Baía de Guanabara.

Ali, até 11 de Novembro, a Tara Ocean Foundation organizará palestras e seminários educativos sobre a preservação dos oceanos.

O navio, que já tinha passado pelo Rio em 2010, partiu de França em dezembro passado para a sua atual expedição, que já o levou ao Chile, às Caraíbas e também à foz do rio Amazonas no norte do Brasil.

O objetivo é estudar o "microbioma", a face menos conhecida dos oceanos, composta por milhões de espécies na sua maioria invisíveis ao olho humano.

"Estamos interessados no que vem do rio Amazonas, uma água doce que está carregada de nutrientes, e que tem impacto no ecossistema do Oceano Atlântico. O influxo desta água para o oceano tem um impato colossal, até à África ou mesmo às Caraíbas", explica Romain Troublé, diretor-geral da Fundação Tara Ocean.

A expedição no Brasil também permitiu estudar os montes submarinos ao longo da costa do Rio de Janeiro, que se elevam de 4 mil a 20 metros abaixo da superfície e são importantes para a formação de correntes e ecossistemas.

Depois do Brasil, o Tara navegará para a Argentina, para Ushuaia, depois para a Antártida, antes de subir o Oceano Atlântico à volta da África Ocidental.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Máscaras e luvas, a nova poluição dos oceanos

Brasil: foram chamados para salvar crianças, mas acabaram numa operação de "salvamento" de armas

Dança criada por jovens nas favelas do Rio é declarada património cultural