EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Primeiro projeto de acordo na COP26 em Glasgow

Primeiro projeto de acordo na COP26 em Glasgow
Direitos de autor Alastair Grant/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Alastair Grant/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O documento insta os países a reforçar os objetivos de redução de carbono até ao final de 2022 e a apresentarem estratégias para emissões zero

PUBLICIDADE

Há um projeto de acordo na COP26, em Glasgow.

No documento, os governos são instados a reforçar os objetivos de redução de carbono até ao final de 2022, a apresentarem estratégias a longo prazo para zero emissões de carbono e é pedido mais apoio para as nações vulneráveis.

A correspondente da Euronews, Meabh MC Mahon diz: "O projeto de sete páginas destaca a necessidade, pela primeira vez, da eliminação total dos subsídios ao carvão e aos combustíveis fósseis (...) Diz também que para o aquecimento global ser limitado a 1,5 graus Celsius, citamos: "é necessário tomar medidas significativas e eficazes nesta década crítica.".

Mas antes, fora do local da COP26 , falei com ativistas que disseram não ter fé nos políticos aqui presentes para implementar esta chamada 'ação significativa e eficaz'. Vamos ouvi-los".

Judy Wilson, da União dos Chefes Índios da Colômbia britânica, no Canadá, afirma: "Muitas das coisas que saem do COP26 não foram realmente suficientemente longe. E não me parece que estejam a tratar de questões no terreno. Portanto, dizem que até 2030, 2050 vamos fazer isto, vamos cortar petróleo e gás, vamos fazer todas estas coisas diferentes que mitigam e prolongam o tempo. Não é suficientemente rápido, não é suficientemente depressa".

Steen Winther Christensen, da ONG norueguesa Grandparents for climate deixa patente os descrédito: "Acredito nas Nações Unidas, mas não acredito nos líderes do mundo. Lamento dizer. Eles não estão, por enquanto, tão interessados em reduzir o petróleo e o gás e mudar para indústrias verdes, e isso é uma pena, porque é só isso que precisamos e é o que nos pode ajudar a ficar abaixo dos 2 graus".

Para os críticos, o projeto de acordo não vai suficientemente longe; os mais otimistas congratulam-se que seja mantido o foco no objetivo de 1,5 graus de temperatura.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

COP26 entra na reta final com uma meta, mas sem medidas concretas

Rei Carlos III volta aos compromissos públicos na próxima semana

Ex-advogado torna-se no artista LEGO mais famoso do mundo