EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

EUA acusam Rússia de colocar astronautas em perigo

EUA acusam Rússia de colocar astronautas em perigo
Direitos de autor Bill Ingalls/NASA
Direitos de autor Bill Ingalls/NASA
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O alegado teste de um míssil russo anti satélites terá provocado detritos que já ameaçaram pelo menos três vezes a segurança da Estação Espacial Internacional

PUBLICIDADE

A Estação Espacial Internacional (ISS) está em perigo, avisam os Estados Unidos, apontando o dedo à Rússia devido ao alegado teste de um míssil anti satélites realizado durante o fim de semana.

O administrador da Agência Espacial norte-americana (NASA), Bill Nelson, e o secretário de Estado Antony Blinken mostraram-se preocupados, e o porta-voz do departamento de Estado sublinhou as acusações a Moscovo.

"O comportamento perigoso e irresponsável da Rússia compromete a sustentabilidade de longo prazo do espaço exterior e demonstra claramente que as pretensões da Rússia de se opor ao armamento espacial são falsas e hipócritas. Os Estados Unidos vão trabalhar com os aliados e parceiros para responder a este ato irresponsável da Rússia", afirmou Ned Price.

Na segunda-feira, a Estação Espacial Internacional terá passado três vezes perto dos detritos, obrigando os astronautas pelo menos duas vezes a procedimentos de segurança.

Além dos astronautas a bordo da ISS, a NASA considera que os detritos alegadamente gerados pelo exercício da Rússia ameaçam também a Estação Espacial Chinesa os respetivos "taikonautas" a bordo, por isso a agência americana vai continuar a vigiar a situação na órbita da Terra.

Risco calculado

O antigo cosmonauta russo Alexander Lazutkin considera tratar-se, no entanto, de um risco calculado.

"Esta é uma situação de emergência, mas diria que é um risco calculado. Sabemos o que é preciso fazer neste momento, se alguma coisa acontecer, e o Centro de Controlo da Missão também sabe", afirmou o graduado do Instituto de Aviação de Moscovo e também ex-diretor do Museu Memorial dos Cosmonautas, na capital russa.

Roscosmos atenta

A agência espacial russa difundiu já esta terça-feira um comunicado, garantindo que a "principal prioridade" da respetiva indústria espacial "foi e continua a ser garantir a segurança incondicional da tripulação" da ISS.

"A eficácia e eficiência do trabalho conjunto é confirmada por numerosos casos de assistência mútua e apoio a tripulações multinacionais em órbita e pela assistência mútua de especialistas na Terra como parte do trabalho conjunto no âmbito do ambicioso e inigualável projeto ISS", lê-se no comunicado da Roscosmos.

A agência garante ainda que o "Sistema Automático Russo para a Prevenção de Situações Perigosas no Espaço Exterior continua a monitorizar a situação com o objetivo de prevenir e combater todas as ameaças possíveis à segurança da Estação Espacial Internacional e da sua tripulação".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Missão espacial DART para desviar asteroides já acelera pelo espaço

NATO preocupada com "guerra" no espaço

Rússia reconhece supremacia americana no espaço