This content is not available in your region

EUA acusam Rússia de colocar astronautas em perigo

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
EUA acusam Rússia de colocar astronautas em perigo
Direitos de autor  Bill Ingalls/NASA

A Estação Espacial Internacional (ISS) está em perigo, avisam os Estados Unidos, apontando o dedo à Rússia devido ao alegado teste de um míssil anti satélites realizado durante o fim de semana.

O administrador da Agência Espacial norte-americana (NASA), Bill Nelson, e o secretário de Estado Antony Blinken mostraram-se preocupados, e o porta-voz do departamento de Estado sublinhou as acusações a Moscovo.

"O comportamento perigoso e irresponsável da Rússia compromete a sustentabilidade de longo prazo do espaço exterior e demonstra claramente que as pretensões da Rússia de se opor ao armamento espacial são falsas e hipócritas. Os Estados Unidos vão trabalhar com os aliados e parceiros para responder a este ato irresponsável da Rússia", afirmou Ned Price.

Na segunda-feira, a Estação Espacial Internacional terá passado três vezes perto dos detritos, obrigando os astronautas pelo menos duas vezes a procedimentos de segurança.

Além dos astronautas a bordo da ISS, a NASA considera que os detritos alegadamente gerados pelo exercício da Rússia ameaçam também a Estação Espacial Chinesa os respetivos "taikonautas" a bordo, por isso a agência americana vai continuar a vigiar a situação na órbita da Terra.

Risco calculado

O antigo cosmonauta russo Alexander Lazutkin considera tratar-se, no entanto, de um risco calculado.

"Esta é uma situação de emergência, mas diria que é um risco calculado. Sabemos o que é preciso fazer neste momento, se alguma coisa acontecer, e o Centro de Controlo da Missão também sabe", afirmou o graduado do Instituto de Aviação de Moscovo e também ex-diretor do Museu Memorial dos Cosmonautas, na capital russa.

Roscosmos atenta

A agência espacial russa difundiu já esta terça-feira um comunicado, garantindo que a "principal prioridade" da respetiva indústria espacial "foi e continua a ser garantir a segurança incondicional da tripulação" da ISS.

"A eficácia e eficiência do trabalho conjunto é confirmada por numerosos casos de assistência mútua e apoio a tripulações multinacionais em órbita e pela assistência mútua de especialistas na Terra como parte do trabalho conjunto no âmbito do ambicioso e inigualável projeto ISS", lê-se no comunicado da Roscosmos.

A agência garante ainda que o "Sistema Automático Russo para a Prevenção de Situações Perigosas no Espaço Exterior continua a monitorizar a situação com o objetivo de prevenir e combater todas as ameaças possíveis à segurança da Estação Espacial Internacional e da sua tripulação".