Migrantes iraquianos bloqueados na fronteira bielorussa repatriados

Migrantes iraquianos bloqueados na fronteira bielorussa repatriados
Direitos de autor Leonid Shcheglov/BelTA
De  Patricia Tavares
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Fim do sonho europeu devido às tensões fronteiriças na Bielorrússia.

PUBLICIDADE

Tentam entrar na União Europeia desde o dia oito de novembro - dez dias de frio e de exaustão. Migrantes bloqueados da fronteira bielorrussa, a maior parte vinda do Médio Oriente e do Curdistão iraquiano, foram deslocados para um edifício fornecido pelas autoridades da Bielorrússia. Um antigo armazém transformado num centro de acolhimento para migrantes que, rapidamente, atingiu a capacidade máxima.

Aproximadamente 2 mil pessoas ficaram retidas na fronteira entre a Bielorrússia e a Polónia, presas numa floresta húmida enquanto as forças dos dois países se enfrentavam. Os migrantes vieram à procura do direito a uma vida comum, mas pelo menos 12 pessoas encontraram a morte, nas últimas semanas, incluindo uma criança de 1 ano - anunciou uma organização humanitária polaca.

Os confrontos anunciaram o fim do sonho europeu para muitos destes migrantes. Com a deceção carimbada no passaporte, centenas de iraquianos regressaram a casa nesta quinta-feira em voos de repatriamento organizados por Badgade.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Agricultores da Chéquia, Eslováquia, Polónia e Hungria bloqueiam fronteiras em protesto conjunto

Polónia quer acelerar reforço da segurança na fronteira com a Bielorrússia

Agricultores polacos bloqueiam centenas de passagens na fronteira ucraniana, Kiev ameaça retaliação