EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Tensão na fronteira da Bielorrússia

Tensão na fronteira da Bielorrússia
Direitos de autor AP/Russian Defense Ministry Press Service
Direitos de autor AP/Russian Defense Ministry Press Service
De  euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Rússia envia bombardeiros para patrulhar céus da Bielorrússia. Polónia acusa forças bielorrussas de instigarem migrantes atravessar ilegalmente a fronteira

PUBLICIDADE

A Rússia enviou, no sábado, dois bombardeiros de longo alcance de capacidade nuclear para patrulhar os céus da Bielorrússia.

O Kremlin quis sublinhar, com esta missão, o estreitamento dos laços de defesa entre os dois aliados numa altura de fortes tensões com o Ocidente.

O ministério russo da Defesa fez saber que os dois bombardeiros de ataque estratégico Tu-22M3 praticaram "tarefas conjuntas com a força aérea e a defesa aérea bielorrussas".

Os caças Su-30 que a Rússia forneceu à Bielorrússia escoltaram os bombardeiros.

A patrulha de quatro horas marcou a terceira missão deste género da Rússia no país vizinho, desde novembro, e ocorreu numa altura em que a União Europeia e a NATO se insurgem contra o aumento de militares russos perto da fronteira com a Ucrânia.

Entretanto, mantém-se a tensão na fronteira entre a Polónia e a Bielorrússia.

Varsóvia denunciou um incidente em Czeremcha onde um grupo de migrantes, instigado por militares bielorrussos, tentou transpor ilegalmente a fronteira.

Alegadamente os serviços bielorrussos terão utilizado laser para cegar soldados e guardas fronteiriços polacos.

Este mês, o Serviço de Guarda de Fronteiras relatou quase 1200 tentativas de passagem ilegal da Bielorrússia para a Polónia, tendo havido mais de 39 mil tentativas desde o início do ano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polónia constrói barreira na fronteira com enclave russo de Kaliningrado

Morreu cidadão lituano detido na Bielorrússia

Prisioneiro político bielorrusso morre por alegada falta de cuidados médicos