Putin exige garantias "imediatas" da NATO

Access to the comments Comentários
De  Galina Polonskaya
Putin exige garantias "imediatas" da NATO
Direitos de autor  AP Photo

Rússia quer garantias imediatas de que a não vai haver expansão da NATO até à Ucrânia. Aviso feito esta quinta-feira por Vladimir Putin. Na maratona anual de perguntas da comunicação social, o presidente russo clarificou a posição de Moscovo.

Putin está disposto a esperar por janeiro, mês em que arrancam as conversações bilaterais entre a Rússia e os Estados Unidos, mas diz que a resposta tem de ser rápida.

"Sem qualquer truque, dizemos muito claramente: não deve haver expansão da NATO para leste. A bola está no campo deles. São eles que têm de nos dar alguma resposta," afirmou o presidente russo.

Na semana passada, a Rússia exigiu que a NATO recuse a adesão da Ucrânia e de outros países da antiga União Soviética. Pediu também um recuo dos destacamentos militares da aliança para a Europa Central e Oriental.~

Nós não somos a ameaça
Vladimir Putin
Presidente russo

Sobre o fornecimento de gás à Europa, Putin também colocou a resposta de Moscovo como uma reação. "Foi-nos dito pela Comissão Europeia: precisamos de ter relações de mercado; o mercado irá regular tudo. Portanto, o mercado regulou - mais de 2000 dólares por 1000 metros cúbicos de gás," disse.

A conferência de imprensa de Putin durou quase quatro horas. O presidente apontou o dedo a vários jornalistas como "agentes estrangeiros" e insiste que a Rússia não constitui qualquer ameaça.

Putin não poupou esforços para passar a ideia de que "a bola" não está no campo da Rússia em muitas frentes: o país aguarda garantias da NATO; espera propostas sobre os termo dos contratos de gás; faltam também nos dossiers do Kremlin, provas do envenenamento de Navalny que, segundo Putin, a Rússia ainda não recebeu.