EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Morreu Desmond Tutu: Nome incontornável da luta contra o Apartheid na África do Sul

Desmond Tutu morreu aos 90 anos
Desmond Tutu morreu aos 90 anos Direitos de autor Jack Thornell/AP1982
Direitos de autor Jack Thornell/AP1982
De  Nara Madeira com AP, AFP
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Desmond Tutu, arcebispo emérito da África do Sul, nome incontornável da luta contra o Apartheid faleceu aos 90 anos vítima de cancro.

PUBLICIDADE

Desmond Tutu, nome incontornável da luta contra o Apartheid e da reconciliação, na África do Sul, faleceu aos 90 anos. Ficará registado na história pela defesa, pacífica, dos Direitos Humanos, no caminho contra a discriminação e a pobreza, pelo mundo.

Dalai Lama foi uma das personalidades com a qual se cruzou ao longo do seu longo percurso. Depois desse encontro o líder espiritual do Tibete dizia que tinha recebido "alguns \_conselhos muito úteis"_ que não iria esquecer.

O primeiro arcebispo anglicano negro da Cidade do Cabo e Joanesburgo ajudou a escrever um novo capítulo das memórias do seu país liderando a Comissão pela Verdade e Reconciliação que tinha como objetivo esclarecer os crimes cometidos durante o regime segregacionista.

Desmond Tutu organizador de marchas pacíficas contra a segregação durante os piores momentos do Apartheid na África do Sul, debatia-se contra um cancro de próstata diagnosticado no final da década de 1990. Doença que o levou, vezes sem conta, a ser hospitalizado.

Numa entrevista, o arcebispo emérito da Cidade do Cabo, Nobel da Paz em 1984, questionado pelo jornalista sobre como gostaria de ser recordado, dava uma resposta simples: "Alguém que amou, riu, chorou, que foi perdoado e perdoou."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Incêndio deflagra em parlamento sul-africano durante a madrugada

Centenas prestam tributo a Desmond Tutu na Catedral de São Jorge

Arcebispo Desmond Tutu reclama direito a suicídio assistido