Sérvia celebra Ivo Andrić

Sérvia celebra Ivo Andrić
Direitos de autor AFP/AFP
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Escritor recebeu o Prémio Nobel de Literatura em 1961

PUBLICIDADE

A Sérvia assinala seis décadas desde que o Prémio Nobel foi atribuído pela primeira vez a um sérvio.

Ivo Andrić foi o primeiro, e até agora, único sérvio a receber um Prémio Nobel de Literatura, em dezembro de 1961. Nessa altura, e até à sua morte em 1975, viveu num apartamento de Belgrado com vista para um parque.

O apartamento é agora um museu dedicado ao escritor e nele, o seu estúdio está como era na altura.

O escritor Muharem Bazdulj exalta as qualidades de Ivo Andrić.

"Há escritores cujo vocabulário e um tipos de frase os tornam antipáticos para o leitor médio. Todos podem ler Andrić. Mas nessa língua, ele sabia como contar histórias. A decisão do Comité Nobel citou a força épica com que ele contou a história do seu país".

O Prémio Nobel foi importante para o reconhecimento global de uma pequena cultura à qual Andrić pertencia.

O escritor Muharem Bazdulj refere que "se olharmos para a sua biblioteca, descobriremos que Andrić lia livros escritos em sete ou oito línguas diferentes. Ele sentia-se em casa em toda uma cultura europeia".

Na altura em que foi galardoado, Ivo Andrić era já um escritor reconhecido, com livros traduzidos para várias línguas.

"O Prémio significou uma espécie de afirmação de que ele é um membro do, digamos, panteão da literatura mundial moderna", refere Bazdulj.

O escritor Muharem Bazdulj acredita que apesar dos hábitos de leitura mudarem ao longo dos anos, é a escritores como Andrić que se volta sempre.

"Encontra-se algo que lhe mostra o caminho a seguir, ou então dá-lhe a aprovação de que está no caminho certo, o que por vezes é, também, precioso".

Ivo Andrić doou a totalidade do dinheiro do prémio para que fossem comprados livros para bibliotecas na sua terra natal, a Bósnia-Herzegovina.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mokra Gora, um dos lugares mais bonitos do mundo

O "Íris Branco", 40° álbum da saga Astérix já está a venda

Vargas Llosa hospitalizado com Covid-19