EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Testes negativos obrigatórios para entrar na Dinamarca

Testes negativos obrigatórios para entrar na Dinamarca
Direitos de autor Diritti d'autore Jerome Delay/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Diritti d'autore Jerome Delay/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

São necessários testes negativos para entrar na Dinamarca, independentemente da vacinação. A medida estará em vigor, pelo menos, até 17 de janeiro

PUBLICIDADE

A partir de hoje, qualquer pessoa que entre na Dinamarca deve apresentar um teste coronavírus negativo, independentemente do estatuto de vacinação que tenha.

A medida foi decidida pelo comité dinamarquês para a epidemia e os cidadãos concordam, como uma senhora que afirma: "As autoridades estão a levar a situação a sério e a tentar proteger aqueles que não podem proteger-se a si próprios".

Ou um viajante, que diz: "Posso compreender todas as medidas que foram introduzidas, ou seja, as restrições para abrandar o contágio. Naturalmente, é irritante para muitas pessoas. Mas eu penso que funciona".

As exceções a esta regra aplicam-se aos residentes no estado alemão fronteiriço de Schleswig-Holstein, a viajantes de negócios, crianças com menos de 15 anos e pessoas convalescentes.

A obrigação dos testes é válida até 17 de janeiro.

A Dinamarca registou recentemente um aumento muito acentuado de infeções com a variante Ómicron. O país está a realizar testes em massa. Chegaram a ser detetadas 16 mil novas infeções em 24 horas.

Copenhaga critica os países que incluem a Dinamarca na área de risco, alegando que com o enorme número de testas a probabilidade de encontrar infeções é muito maior.

A boa notícia é que, também na Dinamarca, os estudos mostram que a variante Ómicron é menos suscetível de levar à hospitalização do que a variante Delta, tal como mostraram estudos feitos na Grã-Bretanha e na África do Sul.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Autotestes já começam a ser vendidos em supermercados franceses

Chéquia com número recorde de casos de tosse convulsa

Surto de sarampo na Europa: casos aumentaram 30 vezes no período de um ano