This content is not available in your region

OMS alerta para "tsunami de casos" de Covid-19

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com Lusa
euronews_icons_loading
OMS alerta para "tsunami de casos" de Covid-19
Direitos de autor  Thibault Camus/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved

A Dinamarca, o país com a maior taxa de incidência de covid-19 do mundo, continua a registar máximos de novos cassos diários.

Segundo as autoridades sanitárias de Copenhaga, o aumento “é em grande parte explicado com o elevado número de testes PCR realizados depois do Natal”

Para além da Dinamarca, vários países registaram hoje o maior número de casos desde o início da pandemia, entre eles Portugal, Reino Unido, Itália, e França.

O diretor da Organização Mundial da Saúde alertou esta quarta-feira para o drástico aumento de novas infeções por causa da circulação em simultâneo de duas variantes. Na habitual conferência de imprensa sobre a pandemia, Tedros Adhanom disse estar muito preocupado com o facto da Omicron, que é mais transmissível, circular ao mesmo tempo que a Delta. O diretor-geral da OMS falou na possibilidade de um “tsunami de casos” e lembrou “a pressão enorme sobre os trabalhadores de saúde, que já estão exaustos, e sobre os sistemas de saúde, que estão à beira do colapso”.

Alemanha

Também nesta quarta-feira, o ministro da Saúde alemão disse que a taxa de incidência real de infeções é mito superior aos valores avançados oficialmente. Segundo Karl Lauterbach, a incidência real “é atualmente duas ou três vezes mais elevada do que a incidência que estamos a medir”

Grécia

Por causa dos novos surtos de infeções, a Grécia vai introduzir restrições no setor da hotelaria, a partir desta quinta-feira, antecipando as medidas planeadas para o início de janeiro. Os bares, as discotecas e os restaurantes terão de fechar à meia-noite, sem clientes de pé e sem música, com exceção para o dia 31.

Espanha

Espanha reduziu o período de auto-isolamento de pessoas infetadas para sete dias. A decisão acompanha o que já acontece nos Estados Unidos e Inglaterra.