EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Da pandemia às tensões políticas internacionais. Xamãs peruanos fazem previsões para 2022

Da pandemia às tensões políticas internacionais. Xamãs peruanos fazem previsões para 2022
Direitos de autor Guadalupe Pardo/AP
Direitos de autor Guadalupe Pardo/AP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Com o novo ano a aproximar-se, xamãs de todo o Peru reuniram-se num ritual, com pedidos para 2022 e previsões para os próximos 12 meses.

PUBLICIDADE

Do alto de San Cristobal já se avista 2022. O monte peruano voltou a acolher as tradicionais ofertas a Pachamama, a Terra-Mãe a quem, por esta altura do mês, xamãs de todo o país pedem um ano melhor.

E, no Peru, como em qualquer outra parte do mundo, um melhor 2022 só será possível sem os atuais efeitos da covid-19, apesar de, conforme vai alertando o sacerdote Walter Alarcón, o coronavírus ter vindo para ficar.

"Vai continuar entre nós, como parte da família. Será algo mais leve, mais suave, mas vai conviver connosco, e pouco a pouco desaparecer", afirma o xamã.

Mas nem só a pandemia dá o que fazer aos sacerdotes peruanos. O seu ritual também se debruça sobre questões políticas. E a tensão entre a Rússia e a Ucrânia não lhes passou despercebida.

"A Rússia quer invadir o território da Ucrânia, mas vai passar. É por isso que nós, xamãs, estamos aqui, para que não haja guerra, nem agressões físicas", explica Félix Roldán.

Restam-nos agora 365 dias pela frente para ver dissipada a negatividade nas relações internacionais e confirmar se 2022 sempre será um ano melhor.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Os "apanhadores de nevoeiro" do Peru

O impacto da pandemia na Amazónia peruana

Curandeiros peruanos pedem um 2021 com saúde