This content is not available in your region

Covid-19 está a paralisar o governo de Cabo Verde

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com Lusa
euronews_icons_loading
José Ulisses Correia e Silva em declaração sobre a situação epidemiológica de Cabo Verde
José Ulisses Correia e Silva em declaração sobre a situação epidemiológica de Cabo Verde   -   Direitos de autor  ELTON MONTEIRO/ LUSA

A Covid 19 está a paralisar o governo de Cabo Verde.

Com a Ómicron a circular no país e apenas 1,8% da população com dose de reforço da vacina, as infeções multiplicam-se.

O primeiro-ministro, Uisses Correia e Silva, anunciou esta quarta-feira que há cinco ministros infetados com o Sars-Cov2 e que tem o seu gabinete “praticamente parado” por causa de casos positivos entre os funcionários.

Numa comunicação conjunta com o presidente da república, o chefe do governo anunciou a contratação de mais pessoal de saúde, nomeadamente enfermeiros e, tal como o Presidente da República, pediu um “cerrar de fileiras” para dar combate ao novo coronavírus.

O país registou 1.025 novos casos na terça-feira, dia em que foi confirmada a presença da variante Ómicron a circular no arquipélago.

Cabo Verde tem uma taxa de incidência acumulada de 810 casos por 100 mil habitantes, uma taxa de transmissibilidade de 2,52, taxa de positividade de 21,2% e uma taxa de ocupação hospitalar de 30%.

Quanto à vacinação, até domingo último 84,1% dos adultos no país já estavam imunizados com a primeira dose, 70,8% com a segunda, 1,8% com a dose de reforço e 46,5% dos menores dos 12 aos 17 anos também já tinham recebido a primeira dose.

Na semana passada, o governo elevou o país a situação de contingência, até 20 de janeiro, e apertou várias regras para tentar conter a propagação do vírus no país.

Até terça-feira, Cabo Verde tinha um acumulado de 44.592 casos de infeção pelo vírus da Covid-19, 5.568 casos ativos, 38.643 casos considerados recuperados e 354 óbitos provocados pela doença.