This content is not available in your region

Djokovic cada vez mais distante do recorde absoluto de Grand Slams

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa
euronews_icons_loading
Djokovic cada vez mais distante do recorde absoluto de Grand Slams
Direitos de autor  Bernat Armangue/Copyright 2021 The Associated Press

Novak Djokovic está a apenas uma vitória de se tornar no homem com mais títulos de Grand Slam da história mas o que até bem recentemente era visto como uma simples questão de tempo complicou-se consideravelmente com a pandemia de covid-19. Mais concretamente com a intolerância dos torneios para tenistas não vacinados, como é o caso do sérvio.

Impedido de defender o título na Austrália, esta segunda-feira viu as autoridades francesas fechar-lhe as portas de Roland-Garros. De acordo com a ministra do Desporto, a entrada em vigor do passaporte de vacinação significa que só poderá entrar em recintos desportivos quem estiver vacinado contra a covid-19. Roxana Maracineanu esclareceu que a medida se aplicava a espetadores e desportistas, franceses e estrangeiros.

Quanto aos restantes Grand Slams da temporada, se se mantiverem as restrições atuais, Djokovic será obrigado a uma quarentena de dezdias para participar em Wimbledon, mas poderá jogar o torneio.

Mais complicada é a situação em Flushing Meadows, até porque os EUA exigem atualmente uma prova de vacinação aos viajantes provenientes da Europa.

Espera-se que a situação sanitária global melhore até 2023 mas isso não quer dizer que o regresso a Melbourne para o primeiro Grand Slam da temporada seja possível. Djokovic está impedido de voltar à Austrália nos próximos três anos mas o primeiro-ministro australiano já abriu a porta ao levantamento das sanções nas "circunstâncias certas", que é como quem diz, se Djokovic se vacinar contra a covid-19.