EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

União Europeia debate reforço do certificado de vacina e fim dos testes para viajar

União Europeia debate reforço do certificado de vacina e fim dos testes para viajar
Direitos de autor Bob Edme/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Bob Edme/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Conselho da União Europeia reúne-se em Bruxelas esta terça-feira para debater as prioridades da presidência francesa e a harmonização das regras para viajar entre os "27"

PUBLICIDADE

O fim dos testes obrigatórios e o reforço do certificado de vacinas, incluindo a dose de reforço, para viajar dentro da União Europeia vai estar sobre a mesa do Conselho de líderes dos "27" esta terça-feira, em Bruxelas.

O Conselho liderado pelo belga Charles Michel reúne-se para ficar a conhecer as prioridades da presidência francesa, mas nas agenda estará também a coordenação das restrições de viagens dentro da União Europeia.

Alguns países, como Portugal, Áustria ou Grécia exigem um teste negativo aos viajantes que chegam, independentemente de onde viajem e se tem a vacinação anti Covid-19 completa e reforçada, mas um dos objetivos é tornar o certificado de vacinação na única exigência para circular dentro da União Europeia.

Em França, esta segunda-feira, foi o primeiro dia em que o chamado passe vacinal já foi obrigatório para todos os maiores de 16 anos terem acesso a serviços públicos como bares, restaurantes, concertos, jogos de futebol ou comboios interregionais.

O controlo dos certificados de vacinação passa agora a ser obrigatório, algo que tem motivado diversas manifestações antirrestrições de quem não aceita a obrigação de ser vacinado.

As únicas exceções para não apresentar o certificado de vacina em França são no acesso a eventos políticos, numa altura em que se aproximam as presidências gaulesas, e no acesso a cuidados de saúde.

Esta segunda-feira, França registou mais 108 mil novas infeções, um balanço habitualmente mais baixo à segunda-feira, e 393 mortes no quadro da Covid 19.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Países Baixos poderão aligeirar restrições

Vacinas contra a Covid-19: Imunização pode tornar-se anual e acompanhar a da gripe

Co-presidente dos Conservadores e Reformistas Europeus não descarta apoio ao PPE após eleições