This content is not available in your region

Dona de central nuclear de Fukushima processada

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
 Dona de central nuclear de Fukushima processada
Direitos de autor  Mari Yamaguchi/AP

Seis pessoas estão a processar a Tokyo Electric Power Company Holdings (TEPCO), que gere a central nuclear de Fukoshima, no Japão.

Os queixosos eram todos crianças, em 2011, e viviam na zona por altura da catástrofe nuclear.

Estes seis japoneses desenvolveram o cancro da tiroide avançando, por isso, com uma ação judicial, pedindo uma indemnização de utilidade pública.

Os queixosos, agora com idades entre os 17 e os 27 anos, exigem uma indemnização de cerca de 4,8 milhões euros, pela doença que dizem ter sido provocada por radiação maciça.

Uma das queixosos revelou que vive com medo de ser discriminada:

"Como houve alguma discriminação contra aqueles que foram expostos à radiação, vivi os últimos 10 anos preocupada em ser discriminada se disser a verdade às pessoas (que tenho cancro)".

Mais de 290 pessoas foram diagnosticadas ou são suspeitas de ter cancro da tiroide, incluindo 266 encontradas como parte do inquérito feito pela Câmara Municipal de Fukushima a cerca de 380.000 residentes com 18 anos ou menos, na altura da catástrofe.

A taxa de ocorrência de 77 por 100.000 pessoas é significativamente mais elevada do que a habitual 1-2 por milhão, dizem os seus advogados.

Os funcionários e peritos da província disseram que a elevada taxa de deteção em Fukushima se deve ao sobrediagnóstico em muitos casos, o que pode ter levado a tratamentos ou cirurgias desnecessários. Alguns também apelam ao fim das sondagens de coberturas.

A TEPCO, em comunicado, pediu desculpa por ainda causar problemas e preocupações às pessoas em Fukushima e noutros locais. No documento lê-se que a empresa "responderá com sinceridade" depois de examinar atentamente os documentos do tribunal.