Rússia vai invadir Ucrânia em meados de Fevereiro segundo analistas

Rússia vai invadir Ucrânia em meados de Fevereiro segundo analistas
Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ucrânia pronta para uma guerra.

PUBLICIDADE

A Ucrânia presta homenagem aos seus heróis que morreram ao tentar impedir o avanço das tropas russas. Foi realizada uma marcha comemorativa em Kiev para os soldados que morreram a combater a invasão do Exército Vermelho em 1918.

A data assinala-se num momento crítico - numa altura em que a Rússia é acusada de enviar tropas para a fronteira ucraniana enquanto o Ocidente ameaça Moscovo com sanções em caso de invasão da Ucrania. Em 2014, Oleksiy Ryabchyn organizou uma série de manifestações na região de Donetsk para manter a Ucrânia unida.

Face à escalada militar entre ucranianos e separatistas pró-russos no leste, Oleksiy e a família tiveram de fugir para Kiev. "Nunca na minha vida pensei que isso pudesse acontecer, nem no meu pior pesadelo. É por isso que acho que estou preparado para um ataque da Rússia", disse Oleksiy Ryabchyn.

A Ucrânia está pronta para um ataque. A república soviética de 40 milhões de pessoas prepara-se para a guerra com os separatistas russos. O analista Alexander Vindman acredita que a Rússia vai invadir a Ucrânia em meados de fevereiro.

Não existe uma remodelação da arquitetura de segurança europeia que resulte numa Ucrânia a voltar-se para a Rússia. Por isso, nem sequer penso que via diplomática seja suficiente. Penso que, infelizmente, estamos a dirigir-nos para uma grande ofensiva militar na Europa.
Alexander Vindman
ex-diretor para os Assuntos Europeus do Conselho de Segurança Nacional dos EUA

De acordo com uma sondagem publicada esta semana, mais de 48% dos ucranianos acreditam na possibilidade de uma invasão russa.

O conflito, que eclodiu após a anexação da Crimeia por parte da Rússia em 2014, já deixou mais de 13 mil vítimas mortais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Países do G7 ponderam utilizar ativos russos congelados para financiar a Ucrânia

Forças russas retiram-se do Nagorno-Karabakh

Polícia alemã deteve dois homens suspeitos de serem espiões russos