EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Sérvia rejeitou Rio Tinto sem estudos de impacto

Sérvia rejeitou Rio Tinto sem estudos de impacto
Direitos de autor Marko Drobnjakovic/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Marko Drobnjakovic/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente sérvio defende que a exploração de lítio traria vantagens económicas ao país. Especialistas lamentam que revogação das licenças tenha sido efetuada sem ter por base estudos de impacto.

PUBLICIDADE

Vários meses de protestos puseram fim aos projetos da Rio Tinto na Sérvia. Faz uma semana, a empresa anglo-australiana viu revogada a licença de exploração e purificação de lítio no território, onde planeava investir mais de dois mil milhões de dólares na abertura de uma mina.

Apesar de a companhia ter garantido que o projeto iria respeitar as normas ambientais do país e da União Europeia, o governo ficou do lado dos cidadãos e ambientalistas, que temiam a poluição do ar e da água no Rio Jadar.

A decisão do executivo contrariou, no entanto, declarações prévias do presidente sérvio, que há uns meses disse que os planos da Rio Tinto para os próximos 56 anos trariam mais-valias ao país.

Aleksandar Vucic defendeu então que as receitas anuais da exploração mineira rondariam os 600 milhões de euros, Caso o projeto avançasse para a produção de baterias e cátiodos, as receitas poderiam subir para os três mil e 400 milhões de euros por ano. Isto multiplicado pelos 56 anos do contrato.

Ainda de acordo o presidente sérvio, se a empresa passasse a produzir veículos eléctricos, o impacto no produto interno bruto do país seria de 10,3 mil milhões de euros por ano, além da criação de dois mil postos de trabalho.Para alguns especialistas a desistência do projeto pode significar a perda de uma oportunidade para o país se desenvolver.

Essa é também a opinião de Aleksandar Jovovic. O analista e professor da Faculdade de Engenharia Mecânica defende que o Estado não averiguou o custo-benefício do projeto, ficando sem saber exatamente o que ganha e o que perde.

Apesar das contrapartidas económicas, os cidadãos opuseram-se desde o início à exploração mineira na região. No entanto, ainda não existe qualquer estudo de impacto ambiental sobre os planos da Rito Tinto, uma vez que, de acordo com a Lei, é primeiro necessário haver um projeto. E a versão final do projeto não foi submetida à Faculdade de Engenharia Mecânica, responsável por esse estudo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

População saiu à rua e governo da Sérvia recusou projeto de exploração de lítio

Sérvia recua na exploração de lítio depois de protestos da população

Movimento de protesto contra mina da Rio Tinto na Sérvia