Espaços noturnos em França e Países Baixos voltam à vida

Espaços noturnos em França e Países Baixos voltam à vida
Direitos de autor AFP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Europa começa a aliviar as restrições sanitárias impostas durante a pandemia de covid-19. "Os jovens precisam de libertar as asas", afirmou ministro neerlandês da Saúde.

PUBLICIDADE

Pouco a pouco, França vai aliviando as restrições impostas pela covid-19. Pela primeira vez em três meses, as discotecas francesas reabriram esta quarta-feira. Comer ao balcão, nos cafés e restaurantes, ou mesmo em viagens de comboio ou no cinema volta a ser possível, bem como assistir a concertos de pé.

As máscaras devem cair no final do mês, nos espaços públicos onde for exigido certificado de vacinação. Para os restantes locais, como lojas e transportes coletivos, a medida deve chegar em meados de março.

Também nos Países Baixos é dado algum fôlego à vida em pandemia. A partir desta sexta-feira, discotecas e bares veem a hora de fecho alargada até à 1 da manhã, antes de os limites de horário e capacidade serem restabelecidos, a 25 de fevereiro.

"Os jovens devem poder libertar as asas", alegou o ministro neerlandês da Saúde, Ernst Kuipers,  que, no entanto alerta que a pandemia "não acabou". Por essa razão, as máscaras vão continuar a ser obrigatórias nos transportes públicos e nos aeroportos.

Crianças en Inglaterra passam a ser vacinadas contra covid-19

Em Inglaterra, o plano de vacinação contra a covid-19 vai ser alargado aos mais jovens. Crianças entre os 5 e os 11 anos vão ter direito a uma vacina da Pfizer, após o Departamento de Saúde britânica ter considerado a vacinação para esta faixa etária segura, apesar de "não urgente". País de Gales e Escócia tinham já anunciado esta semana medidas semelhantes, Irlanda do Norte prepara-se para aotar o mesmo procedimento

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Fase aguda" da pandemia pode terminar este ano

Manifestantes exigem levantamento das restrições contra a Covid-19

OMS avisa: "É cedo para cantar vitória" na batalha contra a pandemia de Covid-19