Controlado incêndio em central nuclear ucraniana

Controlado incêndio em central nuclear ucraniana
Direitos de autor ZAPORIZHZHIA NUCLEAR POWER PLANT HANDOUT
Direitos de autor ZAPORIZHZHIA NUCLEAR POWER PLANT HANDOUT
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A central de Zaporijjia, maior instatalação do género na Europa, foi bombardeada pelas Forças Armadas da Rússia, que atacaram também Kiev e Chernihiv.

PUBLICIDADE

O incêndio na maior central nuclear da Europa, em Zaporijjia, na Ucrânia, está apagado, segundo os bombeiros. A central esteve a arder durante a noite, depois de bombardeada pelas forças da Rússia. A Agência Internacional de Energia Atómica diz que nenhuma área sensível da central foi atingida e os níveis de radiação não se alteraram, mas se os ataques continuarem, isso pode causar um desastre nuclear maior que o de Chernobyl.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy deixa um aviso: A Europa tem de acordar. Agora. A maior central nuclear da Europa está em chamas. Tanques russos estão a disparar contra equipamento nuclear. São tanques equipados com visores térmicos, por isso sabem muito bem o que estão a fazer", disse.

Tanques russos estão a disparar contra equipamento nuclear. São tanques equipados com visores térmicos, por isso sabem muito bem o que estão a fazer.
Volodymyr Zelenskyy
Presidente da Ucrânia

Ataques em Kiev e Chernihiv

As sirenes fizeram-se ouvir um pouco por todo o país, incluindo na capital, Kiev. A coluna de veículos militares com dezenas de quilómetros de comprimento continua praticamente parada às portas da capital e está assim há vários dias, mesmo se as imagens enviadas pelo ministério russo da defesa mostram os carros em movimento. Este facto levanta várias questões sobre o estado dos veículos, mas também da aviação ucraniana, já que até agora a coluna não foi alvo de bombardeamentos.

A aviação russa bombardeou vários edifícios na cidade de Chernihiv, perto de Kiev, incluindo um armazém petrolífero. Os ataques fizeram pelo menos 33 mortos civis e 18 feridos.

Também em Kiev vários edifícios foram bombardeados, incluindo um armazém que esteve a arder durante várias horas. Segundo o ministério das emergências, trata-se de um complexo com dez mil metros quadrados. Não há vítimas conhecidas.

A cidade de Kherson, no sul do país, foi a primeira a cair inteiramente em controlo russo. As autoridades locais informaram que as forças da Rússia estão a controlar os principais edifícios governamentais. As últimas imagens da cidade mostram pessoas a fazer longas filas para poderem comprar pão.

Tropas da NATO na região

As potências da NATO reforçam a presença nos países vizinhos.

Os Estados Unidos aumentam o contingente na Polónia. Os militares na base de Arlamow, perto da fronteira, estão a fazer vários exercícios.

França concentra as tropas na Roménia. Mais de 500 militares franceses chegaram a uma base no Mar Negro, para reforçar o flanco leste da Aliança Atlântica.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tribunal Internacional de Justiça analisa acusações da Ucrânia a Moscovo

Ataque a central nuclear pode ser um "crime de guerra"

Pelo menos 13 mortos e 61 feridos em ataque russo à cidade ucraniana de Chernihiv