Milhares de pessoas apoiam Vladimir Putin em Belgrado

Milhares de pessoas apoiam Vladimir Putin em Belgrado
Direitos de autor Marko Drobnjakovic/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Marko Drobnjakovic/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.
De  Bruno Sousa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Sérvia e Rússia têm uma forte ligação histórica e reina um ressentimento contra a NATO no país devido aos bombardamentos durante a guerra do Kosovo

PUBLICIDADE

Se um pouco por toda a Europa se têm multiplicado as ações de solidariedade com a Ucrânia, em Belgrado os milhares de pessoas (quatro mil, de acordo com a Reuters) que saíram para a rua na noite de sexta-feira fizeram-no para apoiar a Rússia e Vladimir Putin. A manifestação foi organizada por grupos de extrema-direita, que consideram a Rússia e a Sérvia países irmãos, ou não tivessem os dois países uma forte ligação histórica.

As opiniões partilhadas pelos participantes podiam ter saído diretamente de um manual de propaganda do Kremlin:

"A Ucrânia está a ser libertada dos neonazis, não é preciso dizer mais nada. O sistema ocidental invadiu a Ucrânia e os nossos irmãos russos estão a libertá-los. Espero que libertem o mundo inteiro."

"Não posso dizer que estou satisfeito com o que se está a passar na Ucrânia. Estamos em choque, são irmãos a matar-se uns aos outros. É uma tragédia mas tinha de ser feito. As forças do mal estavam a chegar à fronteira russa e se não fosse isto, teríamos uma guerra mundial. Sempre é melhor esta guerra do que esperar por um conflito maior."

Existe um forte sentimento anti-NATO na Sérvia devido aos bombardeamentos de que o país foi alvo por parte da aliança durante a guerra no Kosovo, ação que motivou uma condenação da Rússia no Conselho de Segurança da ONU.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Sérvios assinalam 25 anos dos bombardeamentos da NATO

Pelo menos 11 mortos e 50 feridos em ataque russo à cidade ucraniana de Chernihiv

Confrontos e detenções em protesto na Geórgia contra lei dos "agentes estrangeiros"