This content is not available in your region

Tropas russas retomam ataques, Ucrânia diz que nunca pararam

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Tropas russas retomam ataques, Ucrânia diz que nunca pararam
Direitos de autor  frame

O exército russo retomou a “ofensiva” após o adiamento da retirada de civis de duas cidades cercadas no sudeste da Ucrânia, uma delas Mariupol, disse esta tarde o porta-voz do ministério russo da Defesa, Igor Konachenkov.

“Devido à relutância da parte ucraniana de influenciar os nacionalistas ou de prolongar o ‘cessar-fogo’, as operações ofensivas recomeçaram após as 18:00, hora de Moscovo” (15:00 em Lisboa), disse numa mensagem em vídeo.

A prevista abertura, de corredores humanitários em Mariupol e Volnovaja, para retirar a população civil, anunciada pela Rússia, foi suspensa, com ambas as partes a culparem-se.

A retirada de civis, que deveria começar no final da manhã, “foi adiada por razões de segurança”, já que as forças russas “continuam a bombardear Mariupol e os seus arredores”, explicou o município, numa mensagem divulgada na rede Telegram.

A Rússia tinha anunciado um cessar-fogo temporário a partir das 10:00 de hoje em Moscovo (07:00 em Lisboa) para a abertura de corredores humanitários que permitissem a retirada de civis nas cidades ucranianas de Mariupol e Volnovaha.

Ucrânia acusa Rússia de não cumprir cessar-fogo

Para o governo ucraniano, tratou-se de um golpe do exército russo para poder entrar nas cidades sem grandes confrontos.

Numa comunicação ao país, a vice-primeira ministra confirmou que foi acordado com as tropas russas parar os ataques às 9am, hora local.

Tal não aconteceu. A representante do governo acusa Putin de violar o compromisso que iria permitir ajudar dois importantes corredores humanitários a sair das zonas de conflito.