Pelo menos três pessoas morreram num bombardeamento russo a Irpin

Pelo menos três pessoas morreram num bombardeamento russo a Irpin
Direitos de autor AP / Vadim Ghirda
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

São imagens chocantes as que chegam da Ucrânia. Pelo menos três pessoas, entre elas uma criança, morreram num bombardeamento russo a Irpin.

PUBLICIDADE

São imagens chocantes as que chegam da Ucrânia. Pelo menos três pessoas, entre elas uma criança, morreram na sequência do bombardeamento russo a Irpin, uma cidade perto de Kiev. Um vídeo captou o momento em que foi disparado um morteiro perto de uma ponte utilizada por quem fugia dos combates. O pânico, a incredulidade, instalaram-se.

Momentos dramáticos também os vividos por sobreviventes ucranianos, obrigados a passar por cima dos destroços de uma ponte bombardeada pela Rússia, para fugir enquanto as bombas continuavam a cair.

Nas redes sociais o parlamento ucraniano perguntava: "Quantas vidas inocentes dos nossos filhos devemos dar nesta guerra, quantas cidades devem ser destruídas para que os membros da @NATO fechem, finalmente, o céu ucraniano? Digam-nos o preço, se a vida humana já não vale nada para vocês!"

As forças russas continuam a sua incursão e as acusações de ataques indiscriminados, também contra alvos civis e cada vez mais violentos, aumentam.

Nas margens do Mar Negro, a cidade ucraniana de Odessa, que vive há dias na expectativa agonizante de um ataque russo, exibe uma calma enganosa enquanto os residentes tentam agir o mais normalmente possível porque esperam o pior.

Lyuba, de 14 anos, parte com a mãe e as irmãs e diz que é "muito triste, é muito difícil largar um ente querido", porque se sabe que "ali a situação difícil, há ações militares" e o pai "pode morrer a qualquer momento".

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, já avisou que as atenções russas vão virar-se para oeste para a histórica cidade portuária de Odessa, que até agora tem poupada pelos bombardeamentos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Resistência ucraniana ganha cada vez mais membros

Tropas russas retomam ataques, Ucrânia diz que nunca pararam

Putin ameaça quem proteger espaço aéreo ucraniano