This content is not available in your region

Multidões das cidades ucranianas bombardeadas em Lviv rumo à Polónia

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Valérie Gauriat, Lviv
Valérie Gauriat, Lviv   -   Direitos de autor  Euronews

"Ainda havia uma multidão inacreditável na segunda-feira à noite frente à principal estação ferroviária da cidade ucraniana ocidental de Lviv. Centenas e centenas de pessoas estão atrás de mim a fazer fila. Nem consigo ver o fim. Estão em fila de espera para entrar num dos comboios que os levará até à fronteira polaca.

E todas estas pessoas vêm, naturalmente, das cidades bombardeadas, das cidades destruídas no país. O número de pessoas que vêm para Lviv, que é considerada uma cidade segura, não vai diminuir, pelo contrário.

E no centro da cidade, veem-se muitas pessoas que vieram de carro. São carros com matrículas de todas as zonas sinistradas, são pessoas saem com malas e sacos, na esperança de partirem para a Polónia. E as pessoas que acabam de chegar encontram refúgio em abrigos ou instalam-se em casas de residentes locais, porque existe uma grande solidariedade aqui em Lviv em relação aos refugiados.

E as pessoas que acabam de chegar encontram refúgio em abrigos ou instalam-se em casas de residentes locais, porque existe uma grande solidariedade aqui em Lviv em relação aos refugiados.
Valérie Gauriat
Euronews

As pessoas ajudam-nas com comida, roupa, dinheiro. Por vezes também lhes dão alojamento. E esta onda de solidariedade é bastante notável aqui e, ao mesmo tempo, há uma preocupação crescente. É claro que a presença destes refugiados é extremamente preocupante.

E muitas pessoas têm familiares nas cidades bombardeadas e as pessoas começam a perguntar-se por quanto tempo é que esta cidade permanecerá segura. Falaram-me hoje de declarações de um membro do governo russo, que anunciou que a guerra terminaria assim que Lviv fosse conquistada. E também, nesta segunda-feira, ouvimos dizer que um aeroporto a 250 quilómetros daqui, no distrito de Vinnytsia, tinha sido bombardeado. Não é muito longe. É verdade que à entrada de Lviv, existe um ponto de controlo bastante impressionante. É muito seguro, mas as pessoas começam a perguntar-se por quanto tempo é que a sua cidade vai continuar a ser segura." - Valérie Gauriat, em Lviv, Euronews