This content is not available in your region

Futebolistas ucranianos jogam para apoiar Forças Armadas

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AFP
euronews_icons_loading
Futebolistas e adeptos unidos para apoiar as Forças Armadas ucranianas
Futebolistas e adeptos unidos para apoiar as Forças Armadas ucranianas   -   Direitos de autor  AFP

Na sexta-feira, acontece o sorteio para a fase de grupos do Mundial do Catar. Portugal é cabeça de série e a Ucrânia, que está ainda na corrida por um lugar na competição, saberá quem poderá vir a ter pela frente. Mas a invasão russa mudou tudo. O país deverá defrontar a Escócia, em junho, para saber quem passa à próxima fase, mas as dúvidas sobre a realização do jogo, mesmo do selecionador nacional, são muitas.

Enquanto se mantém este impasse e com o campeonato nacional suspenso aconteceu a Taça das Forças Armadas, em Lviv, para apoiar os militares, angariando fundos. A ideia era juntar 10 equipas mas foram 38 as que se candidataram e, no final, foram escolhidas 30. 

Muitos jogadores de futebol ucranianos, conhecidos mundialmente, e pelo menos um da seleção nacional, Georgy Sudakov, participaram no torneio. A equipa de Sudakov venceu mesmo a competição de futebol, a primeira em tempo de guerra na Ucrânia.

"Um torneio de futebol como este faz sentido, porque ajudará um pouco, psicologicamente. É um momento difícil para todos mas, mesmo assim, estas competições são realizadas com o apoio de muitas pessoas e dos nossos soldados, em particular. Na minha opinião, estes torneios deveriam realizar-se semanalmente".
Georgiy Sudakov
Futebolista do FC Shakhtar Donetsk

Foram angariados cerca de 2600 euros que revertem, integralmente, para as Forças Armadas ucranianas.

Ucranianos voltam às competições internacionais

A guerra na Ucrânia está a afetar também o futebol, como seria de esperar. O jogo dos sub-19 do Dínamo de Kiev e do Sporting Clube de Portugal para os oitavos de final da Youth League, vai ocorrer no Estádio Rapid, em Bucareste, a sete de abril. Encontro inicialmente previsto para dois de março em Kiev.

A equipa, originária da capital ucraniana, está impossibilitada de utilizar instalações desportivas no seu país e está a treinar na Roménia desde 23 de março, apoiada pelo presidente do Steaua Bucareste que cedeu espaços do clube à equipa de Kiev. O vencedor da eliminatória defrontará outra equipa portuguesa, o Sport Lisboa e Benfica nos quartos de final desta competição europeia.

Editor de vídeo • Nara Madeira