Elon Musk renuncia a dirigir a rede Twitter

Twitter
Twitter Direitos de autor Matt Rourke/Copyright 2017 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Matt Rourke/Copyright 2017 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O multimilionário, Elon Musk, que detém uma participação maioritária no Twitter (9,2%) renunciou a integrar a administraçâo da rede social

PUBLICIDADE

Elon Musk renunciou ao lugar no conselho de administração doTwitter, onde detém a maior participação, 9,2%.

Chegou a ser anunciado que o patrão da Tesla e da Space X devia ter-se juntado à administação a 9 de abril, mas o chefe executivo da rede social, Parag Agrawal, anunciou na segunda-feira, num tweet: "Elon Musk decidiu não se juntar à nossa direção". 

Musk tinha especificado no documento enviado ao regulador da bolsa que não tencionava influenciar as grandes decisões estratégicas mas, na verdade, tem feito uma séie de provocações. Em particular, realizou uma sondagem no seu perfil, perguntando se os utilizadores do Twitter queriam um botão "editar", para corrigir um tweet após a publicação. Cerca de 4,4 milhões de pessoas votaram, e cerca de 73% responderam "sim".

A plataforma anunciou então que estava a testar esta funcionalidade, o que muitos utilizadores têm vindo a pedir há anos.

No sábado, Elon Musk perguntou-se se a rede social estava "a morrer", mencionando relatos que foram muito bem seguidos mas não muito ativos.

De acordo com o Washington Post, vários empregados do Twitter expressaram a preocupação de que os valores do homem mais rico do mundo não estejam alinhados com a cultura corporativa da rede social

Antes deste investimento, Musk já era um utilizador ativo da rede social, onde tem 80,5 milhões de assinantes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Twitter ativa "poison pill" para afastar Elon Musk da compra da empresa

Linkedin despede quase 1400 trabalhadores em sete meses

Trump é o primeiro ex-presidente dos EUA a ser fotografado numa prisão