This content is not available in your region

Alemães marcham pela paz

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Ouviram-se protestos contra Vladimir Putin
Ouviram-se protestos contra Vladimir Putin   -   Direitos de autor  euronews

Milhares de pessoas manifestaram-se em várias cidades da Alemanha em prol da paz.

Apelaram à Rússia e a Vladimir Putin que retirem as suas forças da Ucrânia e coloquem fim à guerra.

Alguns pacifistas manifestaram-se, também, contra o envio de armas letais para a Ucrânia, para ajudar Kiev a defender o país, no entanto, outros consideram que, neste momento, essa é uma medida necessária.

Uma manifestante afirma que é "com um coração pesado" que pensa "que agora, é provável que se tenha de fornecer armas." Ela sublinha que é "absolutamente contra, e todas as armas devem ser destruídas, exceto na situação atual".

Em Kappeln, o ministro germânico da Economia e vice-chanceler do país, Robert Habeck, que há uns dias pediu aos alemães para pouparem energia e enfurecer Vladimir Putin, participou nestas "Marchas da Páscoa" e advertiu os manifestantes de que não se deve enviar uma mensagem errada. Qualquer apelo deve ser feito unicamente contra o presidente russo.

"As marchas da Páscoa são significativas e boas se apelarem à paz, e o apelo à paz só pode ser dirigido contra Putin. A este respeito, é preciso ter muito cuidado para não se apelar à Ucrânia para que pare de lutar. Então eu diria que se o fizessem... Então eu não estaria com eles, com as marchas da Páscoa. Se disserem: "Putin, és um agressor, para a guerra, retira as tropas e para de matar e assassinar, então as marchas da Páscoa têm o seu propósito", afirmou o governante.

O Governo germânico anunciou que o país vai desbloquear mais de mil milhões de euros em ajuda militar à Ucrânia.

Segundo fontes oficiais ucranianas, a Alemanha forneceu já ao país armas antitanque e antiaéreas, equipamento de visão noturna e metralhadoras.

As marchas alemãs pela paz ocorrem todos os anos, remontam à Guerra Fria e centram-se, geralmente, em questões como o desarmamento e a abolição das armas nucleares.