This content is not available in your region

Olaf Scholz acusado de bloquear envio de armas para a Ucrânia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Deputados alemães receberam mais apelos sobre o fornecimento das armas disponíveis
Deputados alemães receberam mais apelos sobre o fornecimento das armas disponíveis   -   Direitos de autor  GENYA SAVILOV/AFP

A Ucrânia não pára de pedir ajuda militar urgente. E, na Alemanha, muitos relembram que há cerca de uma centena de tanques Leopard e muito mais equipamento armazenado em Flensburg, no estado de Schleswig-Holstein. As baterias apontam-se diretamente a Olaf Scholz.

"Isto é culpa do chanceler. Olaf Scholz está a bloquear tudo, é óbvio que não quer avançar. É uma enorme responsabilidade que pesa sobre ele, que não está a ajudar a Ucrânia como poderia", afirma Johann Wadephul, da CDU/CSU.

Têm vindo de vários quadrantes, nomeadamente dos Verdes, as menções ao depósito de armamento que o exército alemão já não utiliza e que, na verdade, consta de uma lista solicitada pelo Ministério da Defesa, assim que a guerra na Ucrânia eclodiu. Mas desde então, o governo central permanece em silêncio.

Olaf Scholz está a bloquear tudo, é óbvio que não quer avançar. É uma enorme responsabilidade que pesa sobre ele, que não está a ajudar a Ucrânia como poderia.
Johann Wadephul
CDU/CSU

Para Marcus Faber, do FDP, "o chanceler afirma que quer modernizar as forças armadas, mas ao mesmo tempo apoiar a Ucrânia. Isto tem de ser implementado de forma consequente, não pode demorar, porque a guerra continua. Temos de ser mais rápidos. O governo federal tem de tomar uma decisão rapidamente".

Robert Habeck, ministro da Economia, salienta que "até agora, há dois países que entregaram veículos blindados de origem russa, a Polónia e a Chéquia. Todos os outros membros da NATO ainda não o fizeram... Se houver uma mudança de política, tem de ser executada em conjunto".

Uma delegação de deputados dos partidos do governo deslocou-se recentemente à Ucrânia onde recebeu mais apelos sobre o fornecimento das armas alemãs que estão, como se tornou público, disponíveis.