This content is not available in your region

Político de extrema-direita causa polémica sobre islamofobia na Suécia

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Motins na cidade de Malmo
Motins na cidade de Malmo   -   Direitos de autor  Stefan Jerrevång/AP

Carros queimados e janelas partidas são as provas visíveis dos motins na cidade de Malmo. A agitação social seguiu-se a um anúncio feito por Rasmus Paludan, um político de extrema-direita sueco-dinamarquês, conhecido por declarações racistas, que iria queimar exemplares do Corão, como já fez no passado. Muitas pessoas ficaram chocadas com a violência que o anúncio provocou.

De acordo com a polícia da Suécia, aproximadamente 200 pessoas participaram nos protestos, que tiveram em várias cidades suecas que deram conta de mais de duas dezenas de detenções. Em Teerão, a capital do Irão, teve lugar uma demonstração contra a queima do Corão e a islamofobia, em frente à embaixada sueca. O Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano exigiu uma resposta adequada da Suécia aos acontecimentos dos últimos dias.