Tropas russas deslocam-se no Donbass

Jornalista Sasha Vakulina apresenta mapa das movimentaçôes militares na Ucrânia
Jornalista Sasha Vakulina apresenta mapa das movimentaçôes militares na Ucrânia Direitos de autor EURONEWS
De  Sasha Vakulina & Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Numa altura em que se estima que a Rússia queira apresentar resultados até 09 de maio, o Dia da Vitória, fique a par das mais recentes movimentações militares na Ucrânia.

PUBLICIDADE

As tropas russas "não conseguiram grandes avanços, nem demonstraram qualquer nova capacidade de conduzir múltiplos avanços com êxito e simultâneos" na Ucrânia, de acordo com a mais recente avaliação da situação no terreno feita pelo Instituto para o Estudo da Guerra (ISW).

No leste do país. as forças russas têm vindo a deslocar-se das zonas no Donbass onde estavam estacionadas, num movimento acompanhado de uma elevada atividade aérea russa a prestar apoio.

Em Kharkiv, o presidente da câmara. relata "bombardeamentos contínuos" com múltiplos sistemas a áreas civis.

O Ministério da Defesa da Ucrânia a afirma que em Izyum o exército ucraniano obrigou o inimigo a retroceder..

As forças russas estão a dirigir-se para Kramatorsk. A cidade, diz o minsitério britânico da Defesa com base em informações dos serviços secretos, "continua a sofrer ataques persistentes de projéteis".

Em Mariupol, os combatentes ucranianos resistem na fábrica Azovstal. A vice-primeira-ministra da Ucrânia, Iryna Vereshchuk, fez um apelo urgente para a abertura de um corredor humanitário que permita a retirada de civis e soldados feridos daquela área.

A luta por Mariupol drenou recursos vitais e imobilizou tropas russas que poderiam ser usados para fins militares mais amplos no leste da Ucrânia.

Estima-se que a Rússia queira apresentar êxitos significativos antes das celebrações anuais do 9 de Maio.

Moscovo anunciou planos para o desfile do Dia da Vitória nesse dia em Mariupol, o cenário dos combates mais duros e da pior catástrofe humanitária desta guerra, em que os bombardeamentos destruíram 95% da cidade e mataram mais de 20 mil pessoas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Putin cancela assalto a Azovstal

Ucrânia diz que começou a "batalha por Donbass"

Pelo menos 30 mortos num dos maiores ataques russos à Ucrânia desde o início da guerra