This content is not available in your region

Human Rights Watch documenta crimes de guerra na Ucrânia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Cadáver, no Instituto Forense de Chernihiv
Cadáver, no Instituto Forense de Chernihiv   -   Direitos de autor  EBU

A Human Rights Watch (HRW) documentou vários casos de violações das leis da guerra contra civis em áreas ocupadas pelas forças militares russas, nas regiões de Chernihiv, Kharkiv e Kiev, na Ucrânia.

Nos corpos das vítimas há marcas de violência brutal, execuções e violações.

O responsável do Instituto Forense de Chernihiv afirmou terem sido encontradas marcas nos corpos, causadas por armas proíbidas pela Convenção de Genebra".

Yury Volodymyrovich Polik disse: "Sim, nos territórios que foram ocupados pelas tropas russas encontramos pessoas que morreram e têm os sinais de tortura - pudemos ver muitos casos em que as mãos e/ou pernas foram atadas com cordas ou fita adesiva ou cabos, sendo posteriormente atingidas com uma metralhadora, pelo que é evidente que foram executadas. Ou atiraram na cabeça, ou a uma pequena distância com uma metralhadora".

Quando os russos saíram das cidades que tinham ocupado, deixaram minas, explosivos e granadas de tanques escondidos em casas, jardins, carros, ruas e, mesmo, nas escolas.

Uma aldeia perto de Chernihiv já foi desminada, e a equipa de investigação começou a procurar as vítimas para descobrir como morreram, para saber se foram cometidos crimes de guerra.

As populações contam o que viram.

(...) "Foram atrás das raparigas" (...) "Houve rumores aqui, uma rapariga queixou-se ao chefe deles, e eles foram castigados", conta Galyna, acrescentando: "Roubaram tudo na aldeia, mataram leitões, cortaram frangos, pilharam, fizeram tantas coisas terríveis".

À medida que as escavadoras vão avançando por onde a guerra passou, encontram-se mais vestígios, mais atrocidades, mais corpos e nascem mais sepulturas.