Procuram-se sobreviventes em Havana

Explosão em Havana
Explosão em Havana Direitos de autor Ramon Espinosa/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Papa Francisco pediu orações pelas vítimas da explosão no hotel Saratoga

PUBLICIDADE

As equipas de resgate continuam a retirar corpos dos escombros do Hotel Saratoga. Segundo os últimos dados das autoridades cubanas, 19 pessoas continuam desaparecidas. Na maioria, são trabalhadores deste hotel que é um dos mais luxuosos de Havana. A explosão desta sexta-feira provocou mais de 30 mortos e mais de 80 feridos.

A fachada do Saratoga ruiu, enterrando trabalhadores no interior e, aparentemente, transeuntes no exterior sob betão e metal. A explosão ocorreu no final da manhã, quando as ruas e a praça em frente ao hotel estatal estavam cheias de peões.

As autoridades disseram que a causa da explosão ainda está sob investigação, mas acreditam que tenha sido causada por uma fuga de gás.

O presidente cubano já visitou o local. Miguel Díaz-Canel explicou que "ainda há indícios de que pode haver pessoas presas e que podem estar vivas, mas é difícil avançar por causa do nível de perigo que existe".

Na homilia deste domingo, o Papa Francisco pediu orações pelas vítimas.

A explosão no Hotel Saratoga é um novo golpe para a crucial indústria do turismo do país. Mesmo antes da pandemia manter os turistas afastados, Cuba lutava com sanções mais rigorosas impostas pelo antigo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O turismo tinha começado a reanimar, mas a guerra na Ucrânia deflacionou um aumento de visitantes russos, que representam quase um terço dos turistas que chegaram ao país no ano passado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Balanço de explosão em hotel histórico sobe para 22 mortos

Cuba mergulhada numa grave crise económica

Longas filas para encher o depósito regressam a Cuba