This content is not available in your region

O Dia da Vitória na Rússia e na Ucrânia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Celebrações do Dia da Vitória na Praça Vermelha, Moscovo. -
Celebrações do Dia da Vitória na Praça Vermelha, Moscovo. -   -   Direitos de autor  NATALIA KOLESNIKOVA/AFP or licensors

Dezenas de residentes de Mariupol colocaram flores esta segunda-feira num monumento às vítimas do fascismo para marcar o Dia da Vitória, dia que celebra a vitória dos Aliados sobre o regime nazi na II Guerra Mundial.

A chamada chama eterna no monumento foi acesa pela primeira vez desde 2014. Apesar de este ano as autoridades ucranianas não desejarem organizar festejos, a celebração foi organizada pelas forças separatistas de Donetsk.

A Olga, residente em Mariupol, explica que no início, não foram autorizados a comemorar o feriado em público mas mesmo assim o dia celebrou-se em família. Mais tarde, o presidente da câmara anunciou que era permitido colocar flores no monumento às vítimas. Para além disso, felicitaram os veteranos. Para a residente, provaram em 2014 que "estarão sempre com a Rússia."

O feriado nacional tem particular simbolismo na Rússia, e este ano o país fez questão de deixar claro o seu poderio bélico no tradicional desfile militar da data.

Para Anton, residente em Moscovo, nada mudou desde a II Guerra Mundial. Pelo contrário, considera que a sua terra natal se tornou mais patriótica para evitar os ataques de americanos "de todas as espécies". Por isso, está tudo bem.

Mas nem todos concordam. Um jovem compatriota defende que não se pode comparar a luta Soviética na II Guerra com a presente situação na Ucrânia, o soldado daquele tempo ficaria "bem triste" com o que se está agora a passar.

Ao contrário de Moscovo, em Kiev não houve parada. Mas o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy caminhou sozinho pela avenida onde normalmente decorre o desfile, personificando a confiança dos ucranianos na vitória.