This content is not available in your region

Antigo presidente das Honduras vai ser julgado em Nova Iorque

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Desenho de Juan Orlando Hernández em tribunal
Desenho de Juan Orlando Hernández em tribunal   -   Direitos de autor  Elizabeth Williams/AP

O antigo presidente das Honduras, Juan Orlando Hernández, detidos nos Estados Unidos desde finais de abril, vai ser julgado por um tribunal em Nova Iorque.

Hernández é acusado de envolvimento no tráfico de cocaína para os EUA assim como de posse de armas pesadas.

Opositores do governo hondurenho manifestaram-se à chegada do antigo presidente ao tribunal em Nova Iorque.

O advogado de Hernández denunciou as condições de detenção do antigo chefe de estado.

"Eles limitaram-no, mantendo-o confinado 24 horas por dia. Isto é impossível. Isto é o que se faz a um terrorista, não a um ex-presidente de uma nação soberana. Não consigo explicar porque o estão a tratar como um prisioneiro de guerra", reclamou o advogado de defesa do antigo presidente das Honduras. 

Juan Orlando Hernández reclamou inocência perante as acusações.

O antigo presidente hondurenho arrisca uma pena de prisão perpétua.

A próxima audiência está marcada para 28 de Setembro. No entanto, é improvável que o julgamento venha a ter lugar antes do próximo ano.

"Não podemos condenar um irmão pelas culpas de outro irmão. Isto é o resultado de vingança; uma vingança contra um homem que dedicou a sua vida não só a fazer justiça às Honduras - através da extradição de traficantes de droga - mas também à melhoria das vidas do povo hondurenho", acrescentou o advogado de Hernández. 

Para além do antigo presidente, também o antigo chefe da polícia, Juan Carlos "El Tigre" Bonilla, foi detido e extraditado para os Estados Unidos onde será julgado.