EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Antigo presidente das Honduras vai ser julgado em Nova Iorque

Desenho de Juan Orlando Hernández em tribunal
Desenho de Juan Orlando Hernández em tribunal Direitos de autor Elizabeth Williams/AP
Direitos de autor Elizabeth Williams/AP
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Juan-Orlando Hernández é acusado de tráfico de cocaína para os Estados Unidos e arrisca uma pena de prisão perpétua

PUBLICIDADE

O antigo presidente das Honduras, Juan Orlando Hernández, detidos nos Estados Unidos desde finais de abril, vai ser julgado por um tribunal em Nova Iorque.

Hernández é acusado de envolvimento no tráfico de cocaína para os EUA assim como de posse de armas pesadas.

Opositores do governo hondurenho manifestaram-se à chegada do antigo presidente ao tribunal em Nova Iorque.

O advogado de Hernández denunciou as condições de detenção do antigo chefe de estado.

"Eles limitaram-no, mantendo-o confinado 24 horas por dia. Isto é impossível. Isto é o que se faz a um terrorista, não a um ex-presidente de uma nação soberana. Não consigo explicar porque o estão a tratar como um prisioneiro de guerra", reclamou o advogado de defesa do antigo presidente das Honduras. 

Juan Orlando Hernández reclamou inocência perante as acusações.

O antigo presidente hondurenho arrisca uma pena de prisão perpétua.

A próxima audiência está marcada para 28 de Setembro. No entanto, é improvável que o julgamento venha a ter lugar antes do próximo ano.

"Não podemos condenar um irmão pelas culpas de outro irmão. Isto é o resultado de vingança; uma vingança contra um homem que dedicou a sua vida não só a fazer justiça às Honduras - através da extradição de traficantes de droga - mas também à melhoria das vidas do povo hondurenho", acrescentou o advogado de Hernández. 

Para além do antigo presidente, também o antigo chefe da polícia, Juan Carlos "El Tigre" Bonilla, foi detido e extraditado para os Estados Unidos onde será julgado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

ONU alerta que consumo de drogas está a aumentar

O quebra-cabeças das novas drogas psicoativas na Europa

Teste de álcool e drogas antes de debate presidencial