Última hora
This content is not available in your region

ONU alerta que consumo de drogas está a aumentar

De  euronews
euronews_icons_loading
Muitos dos estupefacientes são enviados por correio
Muitos dos estupefacientes são enviados por correio   -   Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

A unidade de combate ao tráfico de droga de Viena, na Áustria, está novamente em ação, após uma breve pausa devido à pandemia da Covid-19. As Nações Unidas advertem que na Europa, existe de facto um problema crescente de consumo de cocaína. A substância disponibilizada no Velho Continente é quase duas vezes mais pura do que era há 10 anos. Há mais contrabandistas, mais cocaína, e preços mais baixos.

Os produtos de canábis estão, também, a tornar-se mais fortes devido a um aumento do conteúdo de THC e estão, agora a dominar o comércio em linha de estupefacientes. Devido à pandemia, os narcóticos são cada vez mais enviados por correio o que leva as alfândegas austríacas a verificarem regularmente os centros de distribuição.

"Hoje tivemos cerca de 40 apreensões, graças aos cães de busca. Abrimos estas embalagens e encontramos diferentes substâncias, como novas substâncias psicoativas disfarçadas de sais de banho. Temos ecstasy, produtos de canábis... A variedade é enorme", conta um dos agentes que não quis ser identificado.

O Gabinete das Nações Unidas contra a Droga e o Crime, sediado em Viena, avaliou a situação no Relatório Mundial sobre Drogas. Na última década, o número de consumidores de estupefacientes, a nível mundial, aumentou em quase um quinto. A pandemia apenas travou, temporariamente, o tráfico de drogas, segundo a diretora do organismo da ONU, Ghada Waly:

"Houve um abrandamento nas apreensões, um abrandamento no comércio, um abrandamento nos carregamentos. Mas - muito rapidamente - eles ajustaram-se e adaptaram-se, e vemos quantidades crescentes a serem enviadas para a Europa".

O principal motivo de preocupação na Europa é a cocaína. No passado, a máfia italiana dominava o tráfico deste estupefaciente. Agora, há cada vez mais traficantes dos Balcãs envolvidos, multiplicando assim as cadeias de abastecimento.

"Temos visto a cocaína a tornar-se mais barata e mais pura na Europa, e em maiores quantidades - o que é um grande motivo de preocupação. Precisamos de aumentar a cooperação e colaboração internacionais e a troca de informação entre os países de origem e os portos recetores", afirma Waly.

"De acordo com as Nações Unidas, o número de consumidores de drogas continuará a aumentar 11% nesta década. África é particularmente afetada, embora esta tendência preocupante ainda possa ser revertida com as medidas certas", relata o jornalista da euronews Johannes Pleschberger.