This content is not available in your region

Pussy Riot começam digressão europeia "Anti-Guerra"

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Pussy Riot
Pussy Riot   -   Direitos de autor  Bernd von Jutrczenka/(c) Copyright 2022, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten

Foi em Berlim, esta quinta-feira, que as Pussy Riot começaram a atual digressão europeia. A banda punk, feminista e anti-kremilin tornou-se num dos símbolos da contestação ao regime de Vladimir Putin.

Em setembro, Maria Alyokhina, um dos membros da banda, ficou proibida de sair de Moscovo por ter convocado uma manifestação contra a prisão do líder da oposição russa, Alexei Navalny. Há cerca de um mês, a justiça substitui a medida por uma pena de prisão.

Em entrevista ao jornal The New York Times, a ativista de 33 anos disse que conseguiu sair da capital russa disfarçada de estafeta de uma empresa de distribuição de refeições. Deixou o telemóvel em casa, para evitar ser rastreada pela polícia, e escapou com ajuda de amigos.

Na conta do Twitter, Lucy Shtein, companheira da ativista e também membro das Pussy Riot, escreveu que Alyokhina “não fugiu da Rússia, ela saiu para uma tournée que pretende arrecadar fundos para a Ucrânia”.

A digressão “Contra a Guerra” junta música, teatro e gravações de vídeo. Vai passar por 19 cidades, entre elas, Lisboa e Porto.