EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Presidente polaco discursa no Parlamento em Kiev

Sepulturas de vítimas da guerra na Ucrânia
Sepulturas de vítimas da guerra na Ucrânia Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Bernat Armangue/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O chefe de estado polaco Andrzej Duda afirma que só a Ucrânia pode decidir sobre o seu futuro

PUBLICIDADE

O presidente polaco, Andrzej Duda, discursou domingo no parlamento ucraniano. 

Duda é o primeiro chefe de estado estrangeiro a deslocar-se em pessoa ao parlamento em Kiev.

O alto dignitário deixou claro que apenas a Ucrânia tem o direito de decidir sobre o seu futuro.

"Só a Ucrânia tem o direito de decidir o seu próprio futuro, só a Ucrânia tem o direito de decidir sobre si própria. O mundo, a comunidade internacional deve exigir da Rússia que acabe com a sua agressão e abandone completamente o território da Ucrânia, deixando de espezinhar o direito internacional. Não pode haver conversações ou decisões tomadas nas costas da Ucrânia - este é um princípio fundamental", afirmou o presidente polaco.

Só a Ucrânia tem o direito de decidir o seu próprio futuro
Andrezj Duda
Presidente, Polónia

A visita de Duda coincidiu com o aumento dos combates no leste da Ucrânia.

De acordo com informações obtidas pelo ministério britânico da defesa, a cidade de Severodonetsk seria agora uma prioridade táctica para as forças russas.

Segundo o governador de Lugansk, a cidade estaria a ser atacada a partir de quatro direções mas continua a resistir a ofensiva.

Muitos ucranianos contudo receiam o que está por vir.

"Podemos lidar com a falta de água e de electricidade, mas quando ouvimos as explosões perto é realmente aterrador", afirma  Oleksandra Kolchenko, uma professora originária da localidade de Soledar.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, admitiu a situação difícil que se vive no leste do país mas recusa-se a negociar um cessar-fogo que envolva a transferência de território para a Rússia.

Falando na televisão da Bielorrússia no domingo, o negociador russo Vladimir Medinsky, afirmou que a Rússia estava pronta a retomar as negociações de paz com a Ucrânia afirmando que a suspensão é da total responsabilidade de Kiev.

Segundo as autoridades ucranianas, a destruição da cidade de Mariupol após três meses de cerco e bombardeamentos resultou em pelo menos 20 000 mortos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Portugal apoia a Ucrânia com 250 milhões de euros

Soldados ucranianos reclamam "vitórias diárias" a sul

UE destina nove mil milhões à Ucrânia