This content is not available in your region

ONU lamenta recorde de 100 milhões de deslocados no mundo

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Refugiados
Refugiados   -   Direitos de autor  AP Photo/Nariman El-Mofty, File

"Um recorde que nunca devia ter sido estabelecido", mais de 100 milhões de deslocados neste momento no mundo, lamenta o Alto Comissário das Nações Unidas para os refugiados.

Segundo Filippo Grande, o conflito na Ucrânia acrescentou 14 milhões de deslocados ao número anterior.
No final do ano passado, o número de deslocados havia atingido os 90 milhões.

Segundo o Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, Filippo Grandi, este recorde é um indicador terrível sobre o estado do mundo.

Um recorde que nunca devia ter sido estabelecido
Filippo Grandi
Alto Comissário da ONU para os Refugiados

Guerra, violência, perseguição e discriminação são as principais razões por detrás deste recorde, segundo a ONU.

O número inclui 53,2 milhões de deslocados internos.

Para além da Ucrânia, o Afeganistão é outro dos países que produz mais refugiados.

Etiópia, Burkina Faso, Myanmar, Nigéria e a República Democrática do Congo são outros tantos exemplos de países que enfrentam problemas. 

Para além de conflitos e violência, desastres naturais como inundações, tempestades e ciclones teriam igualmente provocado 23,7 milhões de deslocados internos no ano passado, a maior parte dos quais na região Ásia-Pacífico.