This content is not available in your region

Guerra pelo controlo dos cereais

Access to the comments Comentários
De  Galina Polonskaya
euronews_icons_loading
Parte de um rocket num campo de Cherkaska Lozova, nos arredores de Kharkiv
Parte de um rocket num campo de Cherkaska Lozova, nos arredores de Kharkiv   -   Direitos de autor  Bernat Armangue/AP

Rússia controla já parte da produção de cereais da Ucrânia. Na região de Kherson, foi instalada uma administração russa e um dos responsáveis veio dizer que a colheita do ano passado está a ser entregue a compradores russos.

Zelenskyy acusa Moscovo de "criar deliberadamente" uma crise alimentar e acusa a Rússia de roubar pelo menos meio milhão de toneladas de cereais ucranianos.

Os peritos do Programa Alimentar Mundial já tinham avisado que o bloqueio dos portos ucranianos por parte da Rússia poderia desencadear uma crise alimentar global e que milhões de pessoas correm o risco de morrer de fome.

As autoridades russas dizem que a crise alimentar é provocada pelas sanções ocidentais e que é impossível deixar sair os grãos à medida que os portos são minados.

A situação estará a chegar a um ponto crítico, uma vez que os armazéns de cereais ucranianos estão cheios e já não há lugar para armazenar a nova colheita.

Turquia oferece mediação

Esta segunda-feira, o Presidente turco voltou a oferecer-se para mediar o conflito entre russos e ucranianos. Erdogan esteve ao telefone com Vladirmir Putin e terá dito que a Turquia estava pronta a retomar um papel no fim da guerra na Ucrânia e sugeriu que o seu país organizasse conversações de paz com a Ucrânia e a Rússia em Istambul, sob a égide da ONU e com o acordo de todas as partes.

Os meios de comunicação estatais turcos dizem também que Erdogan sugeriu a criação de um "mecanismo de observação" na Ucrânia, onde Ancara poderia ser pivot. Sugestões que não foram assumidas publicamente pelo Kremlin.

De acordo com Moscovo, Putin disse a Erdogan que a Rússia estava pronta a facilitar a "exportação marítima sem entraves de cereais dos portos ucranianos" em cooperação com a Turquia, e que se as sanções fossem levantadas, Moscovo poderia exportar volumes significativos de fertilizantes e produtos agrícolas.