This content is not available in your region

UEFA anuncia inquérito independente à final da Liga dos Campeões

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Adeptos do Liverpool face à derrota na final da Champions
Adeptos do Liverpool face à derrota na final da Champions   -   Direitos de autor  Tim Goode/PA via AP

O caos em que se tornou a final da Liga dos Campeões em Paris vai ser alvo de um inquérito independente. Debaixo de fogo, a UEFA anunciou que a investigação será conduzida pelo antigo ministro da Educação português, Tiago Brandão Rodrigues, que também deteve a pasta do Desporto.

Vimos a polícia a lançar gás lacrimogéneo e gás pimenta sobre pessoas que tinham bilhetes
Ian Byrne
Deputado trabalhista britânico

Isto numa altura em que voam acusações entre o Liverpool e as autoridades francesas, que afirmam que mais de 30 mil adeptos do clube britânico foram ao Stade de France com bilhetes falsos.

"A questão central é tentar perceber o que aconteceu realmente em torno desta fraude massiva de bilhetes e como é que atingiu uma dimensão tão elevada", veio declarar a ministra francesa do Desporto, Amélie Ouéda-Castera.

Uma dimensão que o Liverpool questiona antes de se proceder precisamente a um inquérito. O que é certo, diz o clube, é que o grau de violência da polícia francesa foi injustificável.

"Assim que chegámos, vimos milhares de adeptos a fazer fila para entrar. Os torniquetes estavam fechados. Tudo o que víamos eram filas gigantescas e ninguém a entrar. É claro que a situação foi-se tornando cada vez pior. Nós vimos a polícia a lançar gás lacrimogéneo e gás pimenta sobre pessoas que tinham bilhetes", relata o deputado trabalhista britânico, Ian Byrne.

O ministro francês do Interior, Gérald Darmanin, defende a atuação policial e salienta que, caso não tivesse sido assim, haveria seguramente mortes a lamentar.