This content is not available in your region

"Pelo soldados em combate e pelos que recuperam": Ucrânia a um triunfo do Qatar2022

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
Benfiquista Roman Yaremchuck celebra o segundo golo da Ucrânia
Benfiquista Roman Yaremchuck celebra o segundo golo da Ucrânia   -   Direitos de autor  Jane Barlow/PA via AP

"Uma vitória pelos soldados em combate nas trincheiras e pelos que recuperam nos hospitais", assim resumiu no final o treinador da Ucrânia a vitória na Escócia em partida em atraso das meias finais do playoff de acesso ao Mundial do Qatar.

Andriy Yarmolenko, ucraniano nascido em Leningrado, atual São Peterburgo, na Rússia, pouco antes da dissoluao da União soviética, abriu o marcador aos 33 minutos no Hampden Park, em Glasgow, com um bonito golo a finalizar um brilhante passe longo de Malinovski.

Na segunda parte, culminando uma boa jogada pela direita de Karavaev, que crzou à medida da cabeça de Roman Yaremchuck. O avançado do Benfica dilatou a vantagem da Ucrânia e celebrou com os muitos adeptos ucranianos nas bancadas do estádio escocês.

A seleção da Ucrânia mostrou boa forma após cerca de uma mês de preparação na Eslovénia para este playoff de acesso ao Mundial de Futebol, uma "missão" desportiva que serve de inspiração e motivação para toda uma nação a atravessar uma grave crise provocada pela invasão militar russa iniciada a 24 de fevereiro e que motivou o adiamento destes derradeiros jogos de qualificação.

A Escócia, no entanto, viria a relançar o jogo aos 79', num lance algo confuso, uma débil intervenção do guarda-redes Georgi Bushchan a remate de Callum McGregor e a confirmação do golo escocês pela tecnologia da linha de baliza.

Os ucranianos estavam, no entanto, melhor e não só seguraram o triunfo como dilataram a vantagem num rápido contra-ataque no derradeiro minuto do tempo de desconto. O maestro Oleksandr Zinchenko, jogador do Manchester City, lançou Artem Dovbyk para o 1-3 final.

Os ucranianos estão agora a apenas um duelo do Qatar. No domingo, a Ucrânia enfrenta o País de Gales, que em março ultrapassou a Áustria (2-1) e agora volta a jogar em casa. O vencedor garante o lugar em aberto grupo B do Mundial, onde já estão a Inglaterra, o Irão e os Estados Unidos.

O que falta para fechar os grupos do Mundial?

De resto, ficam a faltar apenas os _playoff_s intercontinentais.

Na terça-feira, os Emirados Árabes Unidos e a Austrália enfrentam-se já no Qatar, no jogo de repescagem da zona asiática. O vencedor terá depois de jogar contra o Peru, o quinto classificado da confederação sul-americana, para determinar a equipa que fecha o o grupo D, onde já estão a França, a Dinamarca e a Tunísia.

Uma semana depois, a 14 de junho, Costa Rica e Nova Zelândia defrontam-se no playoff de repescagem entre a CONCACAF e a confederação da Oceânia. O vencedor vai integrar o grupo E, com a Espanha, a Alemanha e o Japão, fechando também o quadro de 32 seleções participantes no Mundial.

O Mundial do Qatar vai decorrer entre 21 de novembro e 18 de dezembro, sendo o primeiro campeonato do Mundo organizado pela FIFA no final do outono.