EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Boris Johnson enfrenta moção de censura

A contestação a Boris Johnson dentro do Partido Conservador chega ao parlamento
A contestação a Boris Johnson dentro do Partido Conservador chega ao parlamento Direitos de autor Leon Neal/AP
Direitos de autor Leon Neal/AP
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Deputados conservadores levam o documento a votação e decidem futuro do líder

PUBLICIDADE

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson será sujeito a uma moção de censura, esta segunda-feira, depois de o Partido Conservador ter recebido cartas suficientes para desencadear a votação, anunciou o partido.

O presidente do chamado Comité 1922 (que agrupa os deputados conservadores sem pasta), Graham Brady, confirmou que um número suficiente de deputados solicitou a votação.

O limite de 15% do partido parlamentar que busca um voto de censura no primeiro-ministro foi ultrapassado, portanto, terá lugar um voto de confiança dentro das regras da "Comissão de 1922". Essa votação vai acontecer esta noite na Câmara dos Comuns entre as 6 e 8 horas e anunciaremos o resultado logo de seguida.
Graham Brady
Presidente - Comité 1922

Se Johnson perder a votação entre os 359 parlamentares do partido, será substituído como líder conservador e primeiro-ministro. Se ganhar, estará a salvo e não poderá ser alvo de nova moção de censura durante um ano.

Johnson tem lutado para virar uma página sobre meses de escândalos éticos, sobretudo com a quebra de regras de combate à pandemia de Covid-19 em festas nos edifícios do governo durante os períodos de confinamento.

Mais de 15% dos deputados "tories" manifestaram descontentamento em relação à prestação de Boris Johnson. O Primeiro-Ministro foi vaiado quando chegou às celebrações do Jubileu de Platina da Rainha Isabel II. De acordo com uma sondagem, três em cada cinco britânicos são da opinião que Boris Johnson devia demitir-se.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eleitores britânicos vão escolher um novo governo esta quinta-feira

Eleições no Reino Unido: Partido Trabalhista quer acabar com o plano de Ruanda

No último dia de campanha, sondagens apontam para reviravolta histórica no Reino Unido