EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Mais um golpe no Kremlin: Turquia apoia adesão da Finlândia e da Suécia à NATO

Presidente Recep Tayyp Erdogan
Presidente Recep Tayyp Erdogan Direitos de autor Turkish Presidency via AP
Direitos de autor Turkish Presidency via AP
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Após uma reunião entre os líderes dos três países e da NATO, na véspera do arranque da cimeira da organização em Madrid, o acordo foi alcançado. Má notícia para a Rússia

PUBLICIDADE

"A Turquia concordou com a adesão da Finlândia e da Suécia à Nato". A confirmação foi dada pelo secretário-geral da Organização do Aliança do Atlântico Norte, que irá agora concretizar o convite formal aos dois países do norte da Europa para integrarem o bloco militar.

O acordo foi assinado horas depois da reunião entre o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, o chefe de Estado finlandês, Sauli Niinistö, a primeira-ministra sueca, Magdalena Andersson e o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg.

A Finlândia e a Suécia, dois países vizinhos da Rússia, pediram para aderir à Organização do Tratado do Atlântico Norte poucas semanas após o início da invasão russa à Ucrânia, mas Recep Tayyip Erdogan não queria ceder. O terrorismo era de resto uma das principais reticências do Presidente turco, que acusava estes dois Estados de apoiarem o terrorismo, pelo facto de darem asilo a militantes do PKK, um grupo separatista curdo, considerado terrorista por Ancara e também pela NATO.

Stoltenberg anunciou para amanhã, quarta-feira, conferências de imprensa dos três países, para esclarecer o processo de aceitação e de adesão.

"Os nossos ministros dos Negócios Estrangeiros assinaram um memorando trilateral confirmando que a Turquia vai, na cimeira de Madrid, esta semana, apoiar o convite à Finlândia e à Suécia para se tornarem membros da NATO", afirmou, em comunicado, o Presidente da Finlândia.

Em resposta direta às preocupações manifestadas pelo homólogo Recepo Tayyp Erdogan, Sauli Niinistö garantiu que, "enquanto membro da NATO, a Finlândia irá cumprir totalmente os documentos e as políticas da NATO em termos de contraterrorismo."

Do lado sueco, a ministra dos Negócios Estrangeiros limitou-se a dizer: "Chegámos a acordo".

A adesão à NATO da Suécia e sobretudo da Finlândia, que tem maias de 1.300 quilómetros de fronteira com a Rússia, resulta num golpe para o Kremlin, que tem vindo a justificar a invasão da Ucrânia com uma alegada expansão da aliança atlântica para leste.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ministro diz que Finlândia não recebeu listas de deportação da Turquia

NATO sai reforçada de Madrid

Youtuber Diamond Tema deixa a Turquia após ameaças de prisão