This content is not available in your region

Tropas russas iniciam ofensiva por Donetsk e estão a caminho de Sloviansk

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Região de Luhansk, Ucrânia
Região de Luhansk, Ucrânia   -   Direitos de autor  AP/Luhansk region military administration

Depois de assumirem o controlo de toda a região de Luhansk oriental, as forças russas, que receberam ordens para aumentar a pressão no Donbass, avançam para Donetsk. A cidade de Sloviansk está diretamente no seu caminho, o que deixa os habitantes muito ansiosos.

Andriy Gerasymenko, residente na cidade, afirma: "Não sei, acho que só vai piorar". Eu nem sequer sei. Já estou a pensar em partir. Seria sensato não esperar que as coisas melhorem".

Na periferia de Lysychansk, agora controlada pela Rússia, as tropas ucranianas em retirada estão cansadas e frustradas com as suas armas vetustas.

Um soldado que estava a reparar o seu tanque danificado disse que em Lysychansk "foi um inferno", mas mostrou confiança de que vão reconquistar a cidade.

Outro, mostra uma velha metralhadora que foi alegadamente utilizada na luta contra os russos: "Venha ver", diz, " está aqui a data de 1944, ".

As armas modernas prometidas pelos aliados começaram a chegar à linha da frente, mas não suficientemente depressa.

A perda de mais uma cidade levou o presidente Zelenskyy a intensificar os pedidos de mais armas aos aliados, no dia em que recebeu, em Kiev, a primeira-ministra sueca.

Magdalena Andersson disse que quando a Suécia estiver na NATO apoiará uma política de portas abertas para admitir mais países.

Entretanto, em Moscovo, Vladimir Putin ordenou, na segunda-feira, uma maior pressão das tropas russas na região do Donbass que após a conquista de Luhansk, se dirigem para Donetsk.

O exército ucraniano disse no domingo que se estava a retirar de Lysychansk para preservar as vidas das suas tropas que estavam em inferioridade numérica e ultrapassadas pelas forças russas.

Com a guerra já no quinto mês, a Ucrânia disse na conferência de reconstrução, na Suíça, que a reconstrução do país custaria 750 mil milhões de dólares (720 mil milhões de euros).

Em Lugano, o primeiro-ministro, Denys Shmyhal, disse aos líderes de dezenas de países que "A principal fonte de financiamento da recuperação deveria ser os bens confiscados da Rússia e dos oligarcas russos",

Num discurso em vídeo, o presidente, Volodymyr Zelenskyy, descreveu a reconstrução da Ucrânia como a "tarefa comum de todo o mundo democrático" e a "maior contribuição para o apoio à paz global".

Num impulso simbólico, a bandeira ucraniana foi hasteada na Ilha da Serpente, no Mar Negro, depois de a Rússia se ter retirado deste território ucraniano estrategicamente importante na semana passada.